3 características de empresas que tomaram a pílula vermelha da Matrix

Primeiramente o filme The Matrix (1999) foi certamente um divisor de águas no cinema. Um clássico totalmente atemporal.

E quando digo que foi um divisor de águas não estou exagerando. Além dos efeitos especiais inovadores para a época, é só dar uma pesquisada e irá encontrar centenas de referências a trilogia, principalmente metáforas relacionadas à diversas áreas de estudo.

Matrix e o mundo dos negócios

E como muitas vezes a vida imita a arte, e a arte imita a vida, quero trazer para você a relação entre a Matrix e o mundo dos negócios.

No entanto quando o misterioso Morpheus faz a pergunta para o Neo entre tomar a pílula azul e continuar na vida de aparências, tédio e ilusão, ou ingerir a pílula vermelha e encontrar de fato o mundo real, desconhecido e arriscado.

Então ele decide pela pílula vermelha e conhecer a Matrix, um sistema poderoso de rede de computadores capaz de escravizar os humanos através de máquinas inteligentes.

E o momento urge por esta escolha. O mercado – que aqui seria o Morpheus – está nos mostrando as duas opções;

Ou ficamos na mesmice esperando tudo passar e voltar como era antigamente, ou aceitamos descobrir um novo mundo, cheio de incertezas mas que irá nos mostrar de fato como as coisas realmente são.

Pode parecer óbvio optarmos pela pílula vermelha, mas a bem da verdade é que muitas empresas preferem fazer o mais do mesmo, com pequenas adaptações por obrigação, mas o status quo e a inércia impera.

Existem maneiras de identificar qual o lado escolhido. E como a título do artigo, trago 03 características de empresas que decidiram tomar a pílula vermelha da Matrix.

1 – ADAPTABILIDADE:

Como sempre falo nos meus workshops, treinamentos e palestras, vivemos o Darwinismo dos negócios, adapta-se ou morra!

Quem não entender a movimentação do mercado, mudança no comportamento de consumo, novas formas e canais de vendas, estará fora do jogo.

A boa e velha teoria da Miopia em Marketing se faz mais presente e pertinente do que nunca. Adaptação virou sinônimo de sobrevivência no mercado.

2 – AGILIDADE:

A célebre frase do charmain do World Economic Forum, Klaus Schwab, reflete a importância da empresas serem mais ágeis e flexíveis; “Hoje já não é mais o peixe maior que come o menor, mas o peixe mais rápido que come o mais lento.”

Ser mais ágil não significa necessariamente se precipitar e tomar decisões equivocadas. Agilidade está muito mais ligada a destravar a organização, mitigar desperdícios, quebrar silos, desburocratizar, administração descentralizada e horizontal, com autonomia para as pessoas.

A buzz world da vez é o Business Agility, ou seja, envolver toda a empresa para tomada de decisões e entregas mais ágeis.

3 – MUDANÇA DE MENTALIDADE:

Nenhuma mudança irá acontecer de forma genuína se as pessoas não mudarem a forma de pensar.

Corroboro a minha afirmação parafraseando um importante dramaturgo irlandês, George Bernard Shaw; “ É impossível progredir sem mudança, e aqueles que não mudam suas mentes não podem mudar nada.”

Precisamos desaprender e aprender o tempo todo, desconstruir pós-verdades. Empresas planejadas para a década passada estão fadadas ao insucesso no mundo atual.

Se a tua empresa escolheu pela pílula azul, certamente está atuando dentro do Mindset Fixo, com inúmeras limitações e desculpas para toda e qualquer situação diferente que fuja da zona de conforto.

Caso a opção foi pela pílula vermelha, muito provavelmente está navegando no contexto do Mindset de Crescimento, aberta ao desconhecido, novos aprendizados e descobertas.

Acredita que os obstáculos existem para serem superados. São movidas pelo desafio.

As opções estão literalmente na mão do Morpheus, ops, no mercado. Basta escolher em qual dos mundos a tua empresa deseja caminhar.

Vamos nesta que o FUTURO É AGORA!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.