A história da Harley Davidson

A história da Harley Davidson e suas curiosidades. Por Lucas Machado

A história da Harley Davidson. Por Lucas Machado

A história da Harley-Davidson é simples, mas o impacto é grandioso. Tudo começou em 1901, no estado de Milwaukee, com dois jovens visionários: o designer William S. Harley e o mecânico Arthur Davidson. Juntos, eles tiveram a brilhante ideia de criar uma bicicleta a motor, buscando economizar esforço nas subidas e impressionar as menininhas nas ruas. Após muito trabalho árduo em um pequeno barracão no fundo do quintal, nasceu a primeira grande invenção. William e Arthur se uniram aos outros Harleybrothers William e Walter Davidson, talentosos mecânicos e primos de Arthur, para o novo projeto.

Carburador feito de uma lata de molho de tomate

Com um carburador feito de uma lata de molho de tomate e um motor acoplado a uma bicicleta, não demorou para que, em 1903, a primeira joia da marca surgisse: a icônica Silent Gray Fellow. Após esse sucesso inicial, eles produziram três motos com a mesma cor cinzenta. A primeira foi vendida para um entusiasta que percorreu 10 mil milhas. Posteriormente, ele a vendeu para outro, que rodou 30 mil milhas. Assim no total, essas motos conquistaram mais de 60 mil milhas, ainda com peças “originais de garagem”. Motivados por esse sucesso, os fundadores construíram um barracão maior e pintaram na porta: “Harley-Davidson Motor Co.”

Nos anos 1940 e 1950, surgiu uma onda de discriminação contra os “bikers” nos Estados Unidos, impulsionada pela associação dos motociclistas com a imagem de baderneiros e beberrões, especialmente após o filme ‘O Selvagem’ com Marlon Brando. A ligação com gangues de moto, sobretudo como os Hell’s Angels, transformou o sonho de consumo em pesadelo, com prisões e perseguições constantes. Portanto, os encontros de moto foram cancelados por todo o país, reforçando o estigma, mas isso não abalou em nada a marca.

A Harley continuou a se expandir, impulsionada por vendas ao Tio Sam durante a Primeira Guerra Mundial. Produziu muitas motocicletas para os Estados Unidos durante as duas guerras mundiais. Seu único rival doméstico era a Indian. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Harley produziu 90.000 motocicletas.

Os desenvolvimentos do pós-guerra incluem a introdução do Sportster em 1957, o modelo mais antigo ainda em produção.

Mudanças na Harley-Davidson

Nos anos 1960, a Harley experimentou mudanças em sua propriedade, tornando-se pública em 1965 e fundindo-se à American Machine and Foundry (AMF) em 1969. Após um declínio, a AMF vendeu sua participação de volta aos fundadores nos anos 1980. Mas, Willie G. Davidson, descendente direto, ainda atua na empresa.

Nos anos 1980 e 1990, a Harley introduziu modelos como Softail, FLT e Road King. A empresa também consolidou seu domínio sobre as motocicletas Buell, vendendo-as em revendedores Harley-Davidson.

Desde a virada do século, a Harley-Davidson manteve sua imagem clássica. No entanto, expandiu com modelos de alto desempenho como o V-Rod. Também lançou modelos para o público jovem, como o Cross Bones e o Iron 883.

A linha CVO (Custom Vehicle Operations) da Harley demonstra o potencial dos produtos de seu vasto catálogo de acessórios e peças originais.

O que significa o logotipo?

Conhecido como “Bar and Shield”, usa as cores vermelha e branca para refletir a bandeira americana. As estrelas no logotipo representam Chicago, Illinois, onde a primeira loja da Harley-Davidson foi fundada. Adotado na década de 1930, mas a empresa utilizou diferentes logotipos no passado.

O primeiro logotipo da Harley-Davidson apresentava o nome da empresa em uma tipografia curva e gótica. O segundo logotipo incluía o nome “Harley-Davidson Motor Company” junto a uma coroa de louros, simbolizando uma homenagem à Grécia e ao berço da democracia. O terceiro logotipo, usado de 1911 a 1940, apresentava as letras “HD” dentro de um “V” com asas na parte inferior. Embora este logotipo pareça homenagear os anos de 1910, a empresa nunca declarou oficialmente o motivo de sua escolha.

Todas as Harley-Davidson são construídas nos EUA?

Embora a maioria das motocicletas Harley-Davidson sejam fabricadas nos EUA, nem todas são produzidas lá. Apesar de a Harley-Davidson ter duas fábricas nos EUA, o país compartilha a produção de alguns itens.

Assim sendo, uma parte significativa das motos Harley-Davidson é fabricada fora dos Estados Unidos. Além disso, mesmo que a Harley-Davidson decida alterar sua política de produção, levaria anos para que essa mudança tivesse efeito.

Isso porque construir uma nova fábrica demanda tempo, e a Harley-Davidson precisaria iniciar o processo de construção muitos anos antes.

Enfim a Harley-Davidson evoluiu continuamente, mantendo-se como um ícone clássico e inovando com novos modelos e tecnologias. De suas origens humildes a um símbolo de liberdade e rebeldia, a Harley continua a conquistar corações em todo o mundo.

Um ícone americano desde 1903, como uma árvore resistente, sobreviveu a recessões, mudanças de mercado e falências, mantendo-se inovadora e próspera. Apesar dos desafios e das novas tendências, a marca se adapta e se fortalece, ancorada na conexão profunda com seus clientes, apaixonados pela aventura.

Assim, a Harley-Davidson mistura o velho com o novo, tecendo uma cultura única ao redor de seus produtos, como um poder que entrelaça passado e futuro em suas palavras, criando uma sinfonia com a liberdade.

Lucas Machado instagram

Lucas Machado LinkedIn

Sobre Lucas Machado

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Paulo César Amaro
Paulo César Amaro
26 dias atrás

A Harley Davidson nos proporciona uma liberdade na pilotagem pelo nosso Brasil! Efetivamente não é só um veículo, mas sim uma máquina de fazer as pessoas felizes!