Máscaras de proteção: Um novo acessório fashion

Mascaras de proteção: Um novo acessório fashion

Primeiramente as buscas pelas máscaras de proteção aumentaram devido ao Coronavírus e com essa busca constante não se encontram nos estabelecimentos comerciais.

Porém através deste cenário alguns estilistas estão desenvolvendo essas máscaras devido à alta procura e até mesmo pela falta.

No entanto essas confecções foram disponibilizadas para doação e outros com finalidade de melhorar as vendas e claro com o propósito de ajudar as
pessoas a se protegerem melhor.

Isto é a realidade atual será sair de casa utilizando as máscaras uma vez que o governado de Minas Gerais decretou o uso obrigatório, por esse motivo a procura de máscaras mais estilosas caiu no gosto da população.

Mesmo que estamos passando por sérios problemas, não temos mais como deixar que isso deixe com que possamos criar e trabalhar.

Mas a situação e ter mais satisfação em usar a máscara, por isso veio a ideia de decorar e personalizar, diz o estilista Joao Calazans.

NÃO PODE FALTAR IMAGINAÇÃO

Nesse sentido estilistas estão dando um toque especial nas máscaras de proteção, além de nos protegermos vamos sair estilosas.

A marca tailandesa de Worachai Couture oferece máscaras com bordados e cores em dégradé.

Sobretudo o estilista Joao Calazans ousou um pouco mais, ele fabricou máscaras com brilhos e estampas variadas com um ar super descolado e alegre, garantindo a proteção e ainda sendo super fashion.

O modelista Carlos Roberto Araújo define: A moda é comportamento, é a ocorrência sociocultural que expressa os valores, hábitos e costumes da sociedade atual.

Afinal você também pode fazer a sua máscara, o ideal é que a máscara tenha duas camadas de pano e podem ser feitas em tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos, desde que sejam higienizadas de maneira correta e que a máscara encaixe no seu rosto cobrindo totalmente a boca e o nariz, sem deixar espaços laterais, agora use sua criatividade e saia de casa com mais proteção e alegria.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.