O que lifestyle e business tem em comum?

Não, não é nenhuma pegadinha. Certamente a expressão lifestyle business estará cada vez mais no mindset da galera, em especial das startups.  

E isso, definitivamente, não é uma novidade no mundo dos negócios. 

Empresas que crescem de maneira diferente

Trata-se, portanto, de empreendimentos criados e administrados a partir do estilo de vida de seus fundadores.

Quer dizer, os negócios tem seu business plan criado para garantir o estilo de vida dos sócios. 

Por isso as startups se enquadram tanto nessa linha lifestyle business.

Com sociedades empresárias menores, mais tecnológicas e com um menor quadro de sócios e de empregados. 

A ideia é manter o negócio de modo que ele não fique pequeno demais, impedindo, assim, que os lucros desejados sejam atingidos e para que não cresça demais, garantindo a qualidade de vida de todos. Phoda !!

Negócios de excelência que atendem os desejos dos sócios 

Contudo, ser uma lifestyle business não significa dizer que a empresa não terá qualificação, qualidade, expertise e excelência.

O que ela ofertar a seus clientes será extremamente compensatório. 

Isso também reflete a máxima quando se trabalha com o que se gosta, obtém-se resultados impressionantes. O payback é sem dúvida satisfação e financeiro caminhando lado a lado. 

Como se comportam as lifestyle business? 

Pode-se dizer que, jornadas de trabalho reduzidas, liberdade de horário e homeoffice, busca de rendas passivas e outros.

Lifestyle business são, portanto, empresas que são projetadas com novos formatos.

Muitas delas com plano de negócios para venda sem sucessão familiar ou após tempo determinado.

As chamadas “empresas para não crescer”, tem o mindset voltado para como será a construção e não com o tamanho.

E a garantia de que os executivos não sejam estressados, sedentários, engravatados e infelizes.

O que se quer é qualidade de vida com os resultados financeiros trabalhando com o que gosta. Hasta !!

O que lifestyle e business tem em comum?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.