Conheça os tesouros da Netflix

Conheça os tesouros da Netflix

A semana começou arrastada por aí? Comigo, a sensação de correria tem acompanhado o ritmo da maioria da população. Assim, acredito que esse possa ser seu caso: os dias estão mais acelerados. Com isso, temos a impressão que estamos vivendo em caminhadas circulares.

Mas existem algumas maneiras de amenizar esses efeitos. Antes de mais nada, movimentar-se é uma necessidade para a sanidade mental. Buscar o relaxamento a partir de um bom filme é uma dica infalível para quem não anda em equilíbrio, ou quer mesmo descansar a mente.

Conheça 05 opções para relaxar na Netflix

Dessa forma, pensei em trazer alguns tesouros da Netflix, que vivem guardados na plataforma. Então, organize para viver boas experiências de relaxamento com filmes muito bem avaliados pela crítica.

Alma de Cowboy

A história tem Cole como centro da narrativa. Ele é um adolescente rebelde de 15 anos. O jovem vive com a mãe em Detroit e é expulso do colégio. A mãe cansada deixa o filho com o pai, um cowboy. A história gira em torno da tentativa de resgate afetivo.

Pódio para Todos

Essa indicação se trata de um documentário, que conta as histórias por trás dos jogos paraolímpicos. A proposta é mostrar o poder físico e emocional desses atletas.

Antonia: Uma Sinfonia

Primeiramente, Antonia Brico vive em Nova Iorque, em 1926, e sonha em ser regente de orquestra. Nessa época, o domínio masculino era enorme na profissão. Para complicar ainda mais a carreira, ela tem que escolher entre a música.

Pad Man

O indiano Arunachalam Muruganantham é ativista social e sobretudo empresário. Assim ao perceber o sofrimento feminino, ele busca solução em uma máquina que visa produzir absorvente higiênico a baixo custo.

Milagres do Paraíso

Anna tem uma doença mortal e muito grave no intestino. Junto a isso, surgem os problemas financeiros da família. Mas a mãe não aceita perder a filha e a inscreve num programa experimental.

Conheça os tesouros da Netflix

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários estão fechados.