Retorno do surfe: saúde e sua nova etiqueta

Retorno do surfe: saúde e sua nova etiqueta

Desde o mês passado, o Brasil deu início à abertura de algumas praias para a prática do surfe, suspensa por causa da pandemia de Covid-19.

A princípio, a “autorização” para a prática do surfe ainda não é algo em definido ao redor do mundo, muito pelo contrário.

De antemão, a própria Rip Curl Cup anunciou, esta semana, que sua tradicional disputa anual, que acontece em Pang Pang – Bali (entre os meses de julho e agosto), não será realizada este ano, no arquipélago indonésio.

Um dia de cada vez

Incertezas à parte, o conforto do momento pode residir, talvez, naquela máxima que todo surfista já carrega consigo, quase que na alma: um swell, uma maré e um dia de cada vez – literalmente.

Em tempos de pandemia, por conseguinte, a volta ao surfe acabou incorporando ao seu “ritual” mais do que acordar no pico e confirmar a meteorologia.

Mas, também, verificar se a prática do esporte está na ordem local do dia. Diretrizes públicas observadas, aí sim, se jogar no esporte.

Litoral Norte

O retorno do movimento, litoral brasileiro à fora, tem encontrado nas praias do litoral norte de São Paulo um destino bem cobiçado pelos apaixonados pelo esporte, um verdadeiro oásis.

Em que pese os surfistas mineiros, muitas das vezes, preferiem outros destinos, até mesmo pela maior proximidade, como é o caso do Rio de Janeiro.

Do mesmo modo que acontece nas praias cariocas – que também vivenciam a retomada da prática do esporte – o litoral norte paulista garante ondulações com bastante personalidade e marcantes.

Gabriel Medina

Dessa forma, a localidade continua a ser destino certo de feras do surfe nacional, como Gabriel Medina, um dos principais atletas do brazilian storm.

A região de São Sebastião, como um todo, merece destaque no litoral norte paulistano.

Praias como Maresias, Camburi, Barra do Sahy (com o mel na Laje do Sahy), Paúba e a praia da Baleia (para os adeptos dos longboards), são algumas das favoritas para o surfe.

Neste momento, contudo, a preocupação do surfista deve envolver, além da apurada escolha do pico, o aspecto da saúde no surfe.

À primeira vista, os últimos acontecimentos nos levaram a ficar sem sentir o gosto salgado do mar por meses.

Assim, é quase compreensível a fissura de muitos em querer e surfar freneticamente por horas a fio, a fim de “tirar o atraso”: eu disse “quase” compreensível.

Isso porque, voltar à prática do esporte requer atenção, já que o corpo de muitos se transformou durante a quarentena, implicando em uma possível alteração metabólica.

Sem falar naqueles que se contaminaram pelo Covid-19, aos quais é recomendada uma remissão completa do quadro viral, antes da voltar à prática de atividades físicas. Bem como de uma avaliação médica específica.

Waves

De acordo com o médico desportista Dr. Guilherme Vieira Lima, para o Waves (boletim do surfe): “Muitos ganharam peso e/ou fizeram a troca da massa magra por massa gordurosa.

Além disso, os estímulos provocados pela atividade física ao seu coração e pulmão deixaram de ser ativados na mesma intensidade e a excitação musculoesquelética também foi diminuída.

Esses são alguns pequenos exemplos de mudanças no seu corpo que implicam numa importante alteração metabólica”.

De toda forma, seja em praias nacionais, seja ao redor do globo, a etiqueta do surfe também mudou.

Pandemia

A interação no ambiente do surfe foi drasticamente – e desejavelmente – alterada, para conter a disseminação da pandemia, assim como as demais políticas públicas adotadas.

Decerto, ainda não há espaço para as resenhas pós-surfe, no ambiente de praia, por enquanto.

A recomendação continua sendo a de que, após surfar, o surfista retorne diretamente para sua casa, após a queda.

Para quem adora o esporte mas, se sente mais seguro e, prefere aguardar um desfecho mais definitivo e contundente do retorno do surfe – e dos esportes outdoor como um todo – fica a dica.

A Rip Curl Ásia preparou uma programação, durante todo o mês de julho, de updates dos melhores momentos do evento, que pode ser conferida em sua página.

https://www.ripcurl.asia/en/events/international/rip-curl-cup-padang-padang/event-updates.html

E já dar para ir sentindo o gostinho do mar, sem sair de casa!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.