Mindfulness: alimentação consciente

Mindfulness: alimentação consciente

Quantos conflitos vivemos frequentemente relacionados a comer e sentir culpa? Esperamos tanto para comer e por outro lado, quando comemos é tão rápido que não aproveitamos a experiência.

Mindfulness

Em suma a alimentação intuitiva é um modo de vida milenar que envolve uma serie de quebras de paradigmas, definitivamente como uma nova forma de ver a alimentação.

Assim sendo, ao invés de controlar externamente sua alimentação através de dietas a ideia é somar macro e micro nutrientes.

De fato é mais eficaz você aprender a se comunicar com seus sinais internos do corpo: Os sinais de fome e de saciedade.

Isso ocasiona um aumento por consequência da sua conexão interior para comer e de maior autocuidado.

Inserimos assim a perspectiva de ouvir o corpo para entender aquilo que ele esta querendo comunicar com você em todos os aspectos.

Em resumo, nutrição sem prescrição é devolver a sua forma de se alimentar por conta própria.

Mindufulness eating

Em outras palavras, devolver a sabedoria interna que o corpo tem a muito tempo. O mindufulness eating é o caminho de volta para essa consciência.

Em primeiro lugar, não adianta sabermos o que devemos ou não comer se quem norteia nossas escolhas alimentares são as nossas emoções, logo o sistema Límbico do nosso cérebro.

Assim sendo, existe uma teoria primaria que a “mindful eating” (alimentação consciente) é um dos braços do mindfulness = atenção plena.

Aceitação, prestar atenção no momento presente, as necessidades físicas e emocionais que seu corpo esta tendo.

Atenção Plena – Atenção e Intenção

Antes de mais nada, quem vive de passado tende a ter depressão e quem vive no futuro tende a ter ansiedade.

Na maior parte do tempo, não conseguimos enxergar o que esta na nossa frente e viver o momento presente. Como resultado, os gatilhos emocionais nos levam a comer sem nem perceber.

Como esta sua relação com a comida? Seja como for temos que dar um outro sentido para o comer.

Visto que quando compreendermos que o alimento é o nosso remédio, conseguiremos fortalecer essa conexão intuitiva e a visão mais ampliada de olhar pra comida além do aspecto biológico, olhar considerando os aspectos psicológicos, emocionais, sociais e ambientais.

Em primeiro lugar, quando falamos de intuição na nutrição não falamos do lado transcendental, falamos de instinto e reconexão com os nossos instintos.

Em segundo lugar se você esta a anos praticando dieta e se frustrando, talvez demore um pouco mais tempo para conseguir se reconectar com os sinais internos.

Ao mesmo tempo, as dietas não nos dão prazer de comer. Inesperadamente no estado mindfulnes comemos com a satisfação de comer o que gostamos com um controle maior, focada na saúde e autocuidado.

Uma vez que, há 81 anos atrás a nutrição não existia no Brasil e as pessoas curiosamente já sabiam o que comer, seja como for, isso pode ser considerado algo intuitivo.

Certamente não existe ninguém mais expert do que você mesmo com o seu corpo e, só você sabe identificar a fome e querer parar de comer.

Fazer a pazes com a comida

Antes de mais nada respeite seu corpo e faça as pazes com a comida. Decerto para muitos não existe comida ruim ou boa, elas não podem ter valores morais diferentes. Afinal, tudo vai depender da frequência do contexto e da proporção que você ingere os alimentos.

Além disso, o efeito da emoção na alimentação: quando as emoções permeiam o comer, aumentam os níveis de estresse e menos controle temos.

Estudos científicos comprovam que comer consciente a longo prazo é mais eficaz no emagrecimento do que dietas restritivas.

Dicas para comer com atenção plena

1) Reserve um tempo para comer: – seja como for, não fique na frente da tv comendo sem viver a experiência, isso faz você comer mais.
2) Coma devagar – Quando você come depressa não da tempo do cérebro processar a mensagem de que esta satisfeito, de maneira idêntica isso também faz você comer além da conta.
3) Mastigue como os dentistas recomendam – em torno de 30 vezes cada garfada. Aproveite e Saboreie sua comida.
4) Explore a sua comida – comer não é mastigar, começa com o comer com os olhos , aroma, textura, cor , sabor e ate o barulho que o alimento faz. Isso te dará tanto prazer quanto engolir.

Hasta !! @PORLUCASMACHADO

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários estão fechados.