O que a geração Z e os millennials esperam de um casamento?

O que a geração Z e os millennials esperam de um casamento?

Marcelo Jeneci embalou casamentos de domingo ao pôr-do-sol, nos últimos anos. Mas qual a prioridade dessas pessoas que decidiram se casar, na última década? O que os jovens esperam de um relacionamento e do amor?

Decidimos entender mais desse parâmetro, com base nos comportamentos da geração Z (os nascidos entre 1997 e 2005) millennials (aqueles que nasceram entre 1980 e 1995). A descoberta surpreendeu. Saiba a seguir!

Primeiramente, as diferenças de parâmetros de vida e processos de escolhas são enormes mesmo sem diferenças de muitas décadas de idade. Portanto, é importante entender comportamentos geridos pelo meio em que cada geração nasceu.

Os mais jovens querem se casar!

Isso é o que mostra o levantamento do site casamentos.com.br. Entre a geração Z, a escolha pela individualidade e saúde mental é prioridade. Mas são eles que endossam os números de interessados pelo casamento.

Os nascidos entre 1997 e 2015 querem se casar. Surpreso? Eu também fiquei. Até porque, o movimento dos millennials é contrário e veio impulsionado pelo número crescente de divórcio, principalmente durante a pandemia do coronavírus.

O brasileiro e o casamento

Segundo o site casamentos.com.br, em geral, os brasileiros estão em busca de casamentos e amor. A plataforma faz parte do TheKnot Worldwide (presente em 11 países) e mostra que no Brasil há uma tendência maior por casamento.

Só para ilustrar esse levantamento, o brasileiro é o que mais se casa no mundo, em relação aos outros povos em que o site atua. Os dados mostram que 56% dos entrevistados sobem ao altar antes dos 26 anos.

Mas o que pensam? Onde vivem? E o que faz com que esses jovens decidam pelo casamento? O levantamento mostra que do total de “sim”, 11% tem motivação religiosa.

Os mais jovens esperam ou optam por não ter filho

No entanto, quando o assunto é filho, o brasileiro aparece em patamar diferente. Já que 48% dos jovens que se casam pretendem esperar, pelo menos, dois anos para a chegada do primeiro filho. Além disso, muitos não querem ter filhos.

Os solteiros das gerações e a sinergia do mundo on-line

Já os solteiros das duas gerações se adaptaram muito bem às paqueras on-line. Até porque, os APPs com essa finalidade sempre foram muito acessados no Brasil. Além disso, o país é o que mais se importa com a imagem postada nas redes sociais.

Sendo que para a geração Z o Instagram segue como o principal meio on-line de paquera. Apesar disso, há a escolha eventual por aplicativos.

O amor eterno da geração Z

A geração Z é mais conservadora. Prova que cerca de 91% dos entrevistados acreditam no amor eterno. Sendo que os millennials respondem que “pode ser” para esse amor.

Outro fato curioso é que a geração Z acredita que a melhor forma de conhecer pessoas é a partir de círculos sociais, ou seja, aquele “amigo de amigo”. Mas que gostam da “pegação” na balada.

Em contrapartida, para os millennials isso está cada vez mais fora de moda. Para eles, não tem nada ver sair beijando geral sem troca de pensamentos. Curioso, né? E você? Quais as suas crenças sobre o casamento e amor eterno? Quero saber!

O que a geração Z e os millennials esperam de um casamento?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments