Perguntas de alma. Por Lucas Machado

Perguntas de alma. Por Lucas Machado

Corpo e alma caminham juntos? Não tem como a gente cuidar do corpo, praticar uma atividade física, cuidar da aparência, estar bonito e com alma feia, abandonada, largada.

A beleza por si só é sem brilho, não tem conexão com nada ao seu redor, é como olhar nos olhos de alguém e encontrar um vazio sem fim, é olhar e não enxergar nada.

A nossa alma também precisa de cuidados, ela também precisa ser “hidratada”, se não fica ressecada enrugada, envelhece precocemente. Precisamos renová-la diariamente.

Alma renovada

Alma renovada é beleza que exala coisas boas, é o olhar que fala no íntimo do nosso coração, é energia que espalha alegria e bondade. É lindo de ver gente bonita de alma, que fisicamente nem tem tanto para chamar a atenção mas a alma é tão maravilhosa que a pessoa se torna a mais linda do mundo.

Conheço tanta gente assim, linda por dentro, cheia de coisas boas, com a alma profundamente alimentada pelo Eterno, que nem liga para o efêmero, para as coisas materiais deste mundão, que no fim das contas só nos consome.

É melhor olhar para frente, alimentar a mente com coisas boas, com coisas reais, tipo pisar na grama e sentir a terra tocando os nossos pés, bater um bom papo com um cafezinho, olho no olho, alma na alma, corpo e alma é muito melhor valorizar o simples.

Sociedade consumista

Em uma sociedade tão consumista o simples perdeu o seu espaço para o status, o confortável perdeu para o luxuoso, a beleza para o belo, e no fim das contas, ninguém mais tem coragem de ser quem realmente é, de extravasar raízes e ser amado assim mesmo. Se amar com ou sem a beleza que o mundo nos impõe.

Eu sei que ponto de interrogação não é palavra, mas é que minha mente anda cheia de perguntas. Então, antes de mostrar mais palavras pelas quais eu tenho profundo apreço, vou compartilhar algumas das interrogações, em formato de perguntas, que tem preenchido e superlotado minha cabeça.

Valor

Me pergunto se um dia a gente aprende a dar valor para quem valoriza a gente, aprende o que é importante de fato. Se um dia a gente aprende a aprender. Se a gente aprende o que realmente é beleza.

Me pergunto se um dia a gente muda e deixa para trás maus hábitos. Se isso é o que acontece quando a gente cresce, ou se isso é o que acontece quando a gente esquece de crescer. Me pergunto qual o ponto em que você reconhece uma verdadeira amizade.

Como a gente acha o verdadeiro amor. Se em algum ponto a gente faz alguma diferença boa na vida dos outros. Se amor de verdade é aquele em que você é amado de volta ou se é quando isso nem importa.

Afinal, tem idade para falar da vida? Será que tem idade para falar de amor? Se o que vale é ser belo ou se belo é beleza.

O sistema é soberano como ainda temos esperança, sabemos quem somos de mais sobre coisas que importam de menos, quem esperava ser 5 anos atrás o que quero ser em 5 anos. Se me sentirei jovem aos 60, ficamos tão bons em repetir erros passados, sobretudo se quero achar respostas ou se só quero continuar perguntando.

E a beleza?

Ela não tem rótulos, nem cor e sim um conjunto de fatores, e independente de tudo é leve e te traz paz se não trouxer paz não é beleza. Mas o lance é que independente de tudo segue o plano, ir além.

Sobre a alma:

Sabe-se ela a diferença entre os olhos que não enxergam e aqueles que realmente não querem ver. HASTA !!

Sobre Lucas Machado Instagram: LUCAS MACHADO

Site: porlucasmachado.com.br

Perguntas de alma. Por Lucas Machado

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários estão fechados.