Argila: benefícios para pele e cabelos

Argiloterapia: benefícios para pele e cabelos. Tendo origem em um período que antecede a Era de Cristo, a Argiloterapia oferece muitos benefícios para a saúde da pele e dos cabelos.

Existem diferentes tipos de argila, e cada uma delas possuem propriedades e funcionalidades específicas.

Benefícios:

No entanto, quase todas elas têm ação antisséptica, bactericida, anti-inflamatória e cicatrizante.

Para os fins estéticos, a argila verde é a mais utilizada, pois ela tem propriedades tonificantes, analgésicas, estimulantes e adstringentes para a pele.

Esse tipo de argila é altamente indicado para o tratamento de acne e oleosidade excessiva na pele e cabelos, proporcionando também a desobstrução dos poros.

Entretanto, a argila vermelha, é procurada devido aos seus nutrientes, que são capazes de retardar o envelhecimento precoce e manter a pele hidratada e saudável.

As argilas amarelas e roxas possuem os mesmos benefícios, proporcionam a nutrição e estímulo da produção de colágeno na pele e jovialidade da cútis.

Tratamento:

Para quem deseja começar um tratamento leve, a argila rosa é recomendada, pois ela é uma mistura entre as argilas vermelha e branca, e têm benefícios cicatrizantes, anti-inflamatórios e calmantes.

A variação de argila de maior pureza é a castanha, sendo responsável pelo estímulo da renovação celular da derme, e auxílio no tratamento da acne.

Para os tratamentos corporais, a argila preta está entre as mais indicadas. “Esse tipo possui qualidades calmantes e relaxantes, podendo também auxiliar no controle da artrite e artrose”, comenta.

Outro ponto a ser ressaltado quanto a Argiloterapia é o de que na terapêutica capilar, ela pode ser usada para tratar casos de seborreia, caspa e dermatites seborreicas.

Isso acontece porque a ação da argila na pele é capaz de produzir efeitos de mobilização de resíduos metabólicos, e a remoção de resquícios externos a pele, glândulas sudoríparas e sebáceas.

“Ela ainda desenvolve e melhora a nutrição tópica e contribui para o aumento da resistência a agentes determinantes na ocorrência destes distúrbios.

Portanto, no momento de aplicação da substância no couro capilar, é realizado um tipo de peeling, que retira as células mortas, ajuda na liberação de toxinas do organismo, intensifica a circulação sanguínea e absorve as impurezas e resíduos.”, explica.

Argiloterapia: benefícios para pele e cabelos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.