Cafeína: benefícios e dieta

Cafeína: benefícios e dieta

Primeiramente o tempinho frio parece que chegou mesmo! E nada mais gostoso que aquele café ou capuccino quentinho pela manhã.

Logo depois um chá para esquentar antes de deitar nas noites congelantes do inverno que vem por aí.

Conversamos com nosso nutricionistas, sobre o consumo de cappuccinos e chás sem cafeína, e é sobre isso que vamos abordar hoje aqui na coluna.

Afinal, cafeína no nosso organismo, faz bem?

Definitivamente enfatizamos diversas vezes que o acompanhamento nutricional se faz fundamental, pois cada um de nós temos particularidades e estamos falando de saúde.

Porém O brasileiro tem mesmo o costume de tomar sempre aquele cafezinho.

Pela manhã, depois do almoço, depois do lanche e por aí vai… Mas quando exatamente pode-se falar em overdose de cafeína?

Doenças:

Acima de tudo cafeína ser um importante nutriente e estar associada com a proteção a doenças como Pakirson, Alzheimer, diabetes, entre outras, e melhorar a performance atlética, alguns indivíduos devem ser cautelosos em relação à sua ingestão.

Entretanto há pessoas que metabolizam a cafeína de maneira lenta, ocasionando efeitos indesejáveis, como taquicardia, falta de sono, hipoglicemia, entre outros.

No entanto o mais preocupante é que, nesses casos de metabolização lenta, o risco cardíaco aumenta consideravelmente com a cafeína.

Portanto O ideal é que o consumo diário não ultrapasse 200mg, o equivalente a aproximadamente duas xícaras de café ao dia.”, alerta Lia Kubelka De Carlos Back, mestre em biotecnologia, membro da American Society Of Human Genetics e do Institute For Functional Medicine.

Durante o dia

Se pararmos para pensar em tudo que ingerimos ao longo do dia, entre cafezinhos, chocolates, energéticos, refrigerantes, e até cápsulas de cafeína, é de se colocar um alerta, buscar um nutricionista e reavaliar a quantidade de cafeína que devemos consumir, para não comprometer nossa saúde.

Segundo os nutricionistas nosso organismo já “acostumado” com a quantidade de cafeína, faz com que nem percebamos alguns sinais que o corpo nos dá, que pode, talvez, estar ligado a esse excesso, por exemplo.

Todavia a nutrição cada vez mais individualizada, percebemos cada vez mais que devemos avaliar nossa saúde e o que ingerimos junto a um profissional correspondente.

Esse conhecimento possibilita um acerto maior na qualidade de vida e evita sérios problemas de saúde num futuro não muito distante. Hasta !!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.