Outubro Rosa: movimento pela vida

  • por em 18 de outubro de 2021

Outubro Rosa: movimento pela vida

Primeiramente a rosa foi a cor escolhida para simbolizar a luta feminina contra uma doença, que todos os anos faz milhares de novas vítimas.

No entanto o movimento pela vida “Outubro Rosa” é celebrado mundialmente e tem como objetivo despertar não apenas as mulheres, mas a sociedade em geral para a prevenção e diagnostico precoce do câncer nas mamas.

Um dos símbolos da campanha é o laço rosa, além disso, a iluminação de espaços públicos e monumentos de rosa, uma maneira de chamar a atenção.

O ato teve início nos Estados Unidos, na década de 90, entretanto no Brasil, o primeiro edifício a ganhar projeção, foi o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, ou Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo.

Entretanto são vários desafios precisam ser vencidos na corrida contra o câncer, dentre eles: o preconceito que, infelizmente, ainda impede que muitas mulheres procurem ajuda, assim como incentivar a cultura da prevenção.

Fundação do Câncer

De acordo com a Fundação do Câncer, o diagnóstico precoce oferece grandes de chances de cura.

Contudo, é preciso ficar atenta e ir além do autoexame, que ajuda a conhecer o próprio corpo e identificar qualquer alteração, mas o ideal é realizar a mamografia e tirar todas as dúvidas com o médico.

Destaca-se ainda que além do tratamento clínico de qualidade, mulheres que enfrentam o câncer de mama precisam de apoio emocional, já que é uma patologia que atinge a estética, o bem-estar.

Dessa forma, incluir na sua rotina: atividade física, alimentação saudável, reduzir o consumo de álcool e manter o peso corporal ajuda a reduzir a probabilidade de desenvolver o câncer de mama.

O Instituto Nacional do Câncer, Inca, informa que 30% dos casos podem ser evitados com as práticas listadas.

Iniciativas Outubro Rosa

Diversas iniciativas Brasil afora buscam inspirar e ajudar as mulheres a enfrentarem essa luta.

Alguns projetos existem há mais de 10, como é o caso da Amigas do Peito, projeto criado em Minas Gerais, que doa sutiãs especiais para as guerreiras carentes que já passaram pela mastectomia, ou seja, a retirada da mama.

Já o Banco de Lenços, é um site que arrecada valores e os transforma em acessórios, que são doados para quem perdeu o cabelo devido aos tratamentos do câncer.

Em São Paulo, a Rapunzel Solidária recebe doações de cabelo e confecciona perucas, bem como a Fundação Laço Rosa, que atua nos mesmos moldes.

Por último, vale dizer que apesar de fazer em sua maioria, vítimas mulheres, o câncer de mama, pode sim, raramente atingir os homens.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários estão fechados.