Psicologia e Yoga são dois caminhos a se trilhar

Psicologia e Yoga são dois caminhos a se trilhar

Primeiramente a Psicologia e o Yoga são duas, entre outras ferramentas, das quais podemos nos beneficiar para tudo na vida.

Porém em diversos tipos de situações, os benefícios mentais e físicos que as duas promovem, são chave para algumas portas importantíssimas em nossas vidas.

Quando vivenciamos situações consumáveis, acredita-se que esta é a mais dolorosa, densa e dura possível.

Dessa maneira parece que não tem fim e, com dificuldade exercemos alguma reação efetiva. Impotência, incapacidade são vivenciadas como sentimentos devastadores.

Já que as mudanças vem a partir do momento em que se resgatam valores arraigados, os quais sociabilizaram o caráter, mas sendo fundamental e vital para transpor obstáculos.

Nesse sentido a sensação de bem-estar e prazer, inconscientemente armazenados na estrutura da memória a nosso favor, temos acesso facilitado quando nos aprofundamos no auto conhecimento.

É o momento propício para dar o passo em direção à porta de saída de uma crise, definitivamente.

Há a possibilidade de transviar estes valores, quando a ação desvincula o ser, que enfraquecido, transpõe sua real disposição, tornando-se apático e passivo.

Reestruturar as ideias

A repetição da anulação das oportunidades de reintegração do ser, vai só enfraquecendo a probabilidade de reestruturação das ideias, ações e reações, ocorrendo patologias físicas e psíquicas.

Por isso, acreditar em algo, uma religião, um Deus, uma filosofia de vida, na positividade talvez , ou na ciência, em alguma prática benevolente.

Ou seja algo que se alinhe há uma verdade interna, colabora para a conscientização e transformação das experiências em aprendizado e sabedoria.

Como cada um é um, você precisa descobrir qual o seu CAMINHO! Se já sabe, pratique e esteja inteiro, faça da sua vida, o que QUER que ela seja!

“A saúde é a maior posse. O contentamento é o maior tesouro. A confiança é o maior amigo”. –Lao Tzu

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.