Desvende os mistérios do Império dos Faraós

Colunas Faraônicas de um templo Egípcio.

Vamos conhecer um pouco mais o Egito? Junte-se a mim e desvende os mistérios do Império dos Faraós.

Aviso: Prepare para enfrentar o calor em forma de fotos e palavras e, em troca, desfrutar dos mais curiosos e antigos templos. Conhecer seus Deuses e mistérios, e também lugares lindos e admirados por quem ama e aprecia a cultura milenar de beleza sobrenatural e recheada de mistérios.

Para se ter uma ideia, ao sair do Cairo e sobrevoar o Rio Nilo nos deparamos com o deserto em sua vastidão. Ademais, o clima árido e seco é predominante em todo o território egípcio. Um povo que sofreu muito ao longo do tempo, entretanto tem sua história recheada de enigmas.

A história por trás do Império

O Egito surgiu no ano 3.150 A.C, fundado pelo Rei Menés. Atualmente, com quase 100 milhões de habitantes, tumbas e templos dão o ar do que vamos encontrar pela frente. O maior reinado foi o de Ramsés II, que ficou cerca de 50 anos no poder.

Um Império gigantesco dividido entre o Norte e o Sul. Segundo os registros, caracterizado pelos chapéus de seus imperadores que dividiam em duas as regiões dominadas.

Para registro: a república foi proclamada no Egito, em 18 junho de 1953 e os muçulmanos são maioria, 90% da população.

Um passeio do do Sul ao Norte do Egito

Em Abul Simbel

O complexo arqueológico de Abul Simbel é sem dúvida, um dos mais importantes monumentos da história da humanidade. Depois de centenas de anos sob areia, arqueólogos europeus descobriram o templo e levaram a maioria de seus tesouros para a Europa.

Assim, foi criado o Museu de antiguidades Egípcias, em Turim, uma das cidades industriais mais importantes da Itália. Pesquisas revelam que seu acervo conta com cerca de 6.500 obras e 26.500 em estado de reserva.

Certamente, essa foi uma das maiores e mais interessantes descobertas, e que quase desapareceu, não fosse a intervenção da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, UNESCO, na década de 1960. A represa de Aswan, no rio Nilo, estava sendo construída, portanto para evitar uma provável inundação do sítio arqueológico, todo ele foi realocado.

De modo que, os templos de Abu Simbel, ao sul do Egito, foram reconstruídos longe do perigo. Arqueólogos do mundo inteiro ajudaram a salvar uma importante parte da história da humanidade.

Existem dentro deste templo quatro grandes estátuas:

  • Uma do faraó Ramsés II
  • E mais três em homenagem aos deuses: Ra-Harakhte, Ptah e Amon-Rá.

O templo foi construído de modo que, duas vezes por ano, em 21 de fevereiro (data do nascimento do faraó), e em 22 de outubro (data da sua coroação), o sol entraria e iluminaria a estátua do Faraó.

Depois da construção do Lago Nasser, o templo teve que ser erguido a 66 metros de altura devido à inundação, e o sol que iluminava a estátua, passou a ter esses dias de iluminação alterados, enfim, uma das mais fantásticas obras de engenharia da humanidade.

Templo Kom Ombo

Templo dedicado aos deuses crocodilo Sobek, divindade da fertilidade, e ao Falcão Hórus, tido como criador do mundo. O local fica a beira do Rio Nilo e foi o templo que mais sofreu alterações devido a terremotos e inundações.

Desvende os mistérios do Império dos Faraós – Luxor

Luxor fica a 650 km ao sul do Cairo. Por isso, ao sobrevoar a região, mais uma vez temos a visão do Nilo cercado pelo deserto, seguramente uma vista maravilhosa e impressionante.

Dessa forma, é lá que se encontram as construções dos famosos e gigantescos templos de Luxor e Karnak, uma demonstração do poder dos Faraós naquela época.

Com 270 metros de comprimento e 70 de altura, dedicado ao Deus Amon, o templo foi encoberto por areia por anos e tomado por árabes. Logo, ao identificarem uma base firme no chão ergueram uma mesquita, que destoa da beleza do monumento.

A entrada do templo tinha dois obeliscos, entretanto um deles foi levado a Paris e está na Praça de La Concorde.

Templo de Luxor – Egito

Quase dois mil anos foram necessários para a conclusão deste que é o maior templo do Egito: são 134 colunas de 21 metros de altura, além disso, a parte superior é em formato de papiro (planta da região que tem o formato de pirâmide). Com cerca de 7 metros de diâmetro, em vários locais as cores originais podem ser claramente vistas.

Vale lembrar que os dois templos, Karnak e Luxor, são ligados por uma avenida. Um fica exatamente na direção do outro, e ademais, eram compostos nas laterais de ambos os lados por esfinges com cabeça de carneiros.

Dicas úteis para desvendar os mistérios do Egito

Gostou desse roteiro? Desvende os mistérios do Império dos Faraós, confira essas dicas para planejar a sua viagem.

Como chegar: não temos voo direto do Brasil para Egito, assim o ideal é fazer escala na Europa ou Oriente Médio.

O visto é necessário e pode ser tirado no aeroporto do Cairo ao chegar, mediante pagamento de U$25,00.

Clima: de setembro a março é a melhor época para ir, com temperaturas mais amenas. Evite ir durante o verão, quando a temperatura beira os 48º C.

Moeda: Dólar ou Euro são aceitos, porém o dólar e a melhor opção.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.