O ensino de qualidade em Xangai

O ensino de qualidade em Xangai

De acordo com o Banco Mundial, o ensino de qualidade em Xangai é um dos destaque na China. Prova disso, é a performance dos alunos em exames de alto nível. Mas o que eleva o ensino de qualidade em Xangai?

Primeiramente, a capacitação dos professores pode explicar os bons números na educação. Na metodologia, o foco do ensino é a capacitação, bem como o treinamento dos alunos.

Incentivo e participação federal em Xangai

Dessa forma, grande parte do tempo nas salas de aula é dedicado à prática. O governo chinês foca no incentivo aos professores. Mas não para nesse pilar. Já que a construção da carreira docente é priorizada no contexto.

Dessa forma, ocorre a valorização do ensino. Tudo isso a partir do pilar principal da sala de aula, ou seja, o professor. Só para ilustrar, um professor em Xangai tem cerca de 30% da renda composta por bônus.

Além disso, os profissionais à frente de cargos de direção e administrativo também têm incentivo. Eles recebem de acordo com o bom desempenho da escola em que atuam.

Igualdade social no ensino de qualidade em Xangai

Nesse cenário, o incentivo para o fomento da carreira é prioritário. Segundo especialistas, a projeção do governo federal é outro ponto de destaque. Assim como a ideia de incentivo aos profissionais. As escolas menos favorecidas tem olhar especial. Assim como as estruturas na zona rural, bem como a rotatividade dos profissionais nesses locais. 

Em Xangai, o sistema de educação tem proposta descentralizada, ou seja, as regras são guiadas por um sistema interno. O resultado das avaliações internacionais mostram que o processo tem dado certo.

O empenho dos alunos e qualidade do ensino em Xangai

O ensino de qualidade em Xangai
O destaque do ensino em Xangai

Prova disso vem com o respaldo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Segundo a entidade, Xangai surge nas primeiras posições. Isso com destaque para matemática, leitura e ciência, em uma tabela global de países e sistemas escolares regionais.

O relatório também mostra o bom desempenho dos alunos socialmente vulneráveis. De acordo com os números, os 10% dos alunos mais pobres de Xangai são tão bons em matemática. Porcentagem que é a mesma aos 20% mais ricos do Reino Unido e Estados Unidos.

Prova que a dedicação do governo em prol da educação mostra indícios claros da redução da pobreza e foco no desempenho econômico e financeiro.

Aprenda com o professor Pachecão técnicas de ensino e aprendizado.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.