Stefan Salej: olhar visionário sobre as startups e Pandemia

Stefan Salej. As startups vem, cada vez mais, ganhando espaço nos mercados e muitas delas, mesmo nesta crise econômica decorrente da pandemia, tem conseguido, surpreendentemente, resultados positivos.

Stefan Salej

Minas Gerais tem sido, certamente, um exemplo de celeiro de startups que
estão conseguindo sobreviver e até mesmo crescer. Uma pessoa que entende muito bem desse assunto é Stefan Salej.

Por certo esse empresário, administrador e cientista político já olhava para
inovação e tecnologia Na época de sua presidência do SEBRAE-MG, trouxe a
Escola Técnica, com metodologia austríaca, e essa escola se tornou
benchmark.

Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG)

Stefan, ex-presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG),
incentivou as incubadoras de Santa Rita do Sapucai e Juiz de Fora, dentre
outras. De antemão, era o prenúncio de que abraçaria o movimento das
startups.

Startups passaram a ser, aliás, sinônimo de juventude, criatividade, inovação e tecnologia, mas para sobreviverem precisam de mais, precisam de conhecimentos de mercado e experiência. A crise mostrou isso.

Dessa forma, hoje Salej também atua no Instituto ICorps Brasil como Diretor e Mentor e na FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, como Mentor.

Startups

O ambiente das startups, muitas vezes apresenta empreendedores com pouca experiência. A mentoria eleva essas empresas a um novo patamar, tornando-as, assim como os empreendedores e seus times, mais preparados e sólidos.

Startups necessitam de orientação, aprendizado. Precisam ser capacitadas
para serem aceleradas, de parcerias e de um olhar de senioridade sobre elas. Assim, são capazes de enfrentar turbulências como essa crise do Covid-19.

Nesse sentido, o mentor, tal como Salej, agrega aos mentorados, por sua
visão, pelo que representa, por ser um estrategista e por fazer análises
econômicas corretas. Auxilia as startups a identificarem as oportunidades e
implementarem.

Dessa forma, considerando que a pandemia foi um divisor de águas onde
muitos pereceram e outros prosperaram, perguntamos ao Stefan Salej qual a visão dele sobre essa crise econômica e como as startups irão sobreviver.

De acordo com Stefan Salej: “Startup não é moda. Startups são reflexos
permanentes de inovação que as empresas precisam para sobrevier.”

Assim, segundo ele, “a crise da pandemia, se de um lado reduz sensivelmente recursos para as startups, de outro lado é uma enorme oportunidade para que novas ideias e soluções em todos os campos de atividades que se apresentem.”

Desde já Stefan aponta que ao se apresentarem, essas startups “se validam no mercado. A crise é a oportunidade, mas não basta ter ideia, tem que
implementar, lutar para a implementação e sua permanente inovação.”

Definitivamente, as startups estão com uma estrada interessante trilharem,
sobreviverem à crise, se solidificarem e expandirem. Mas para tanto, é
fundamental terem ao lado uma visão madura e expert para guiar os passos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.