Mineiro “Felipe Preguiça” o mais novo campeão do mundo de Jiu-Jitsu. Por Lucas Machado

Que Belo Horizonte é uma das capitais mais importantes do Brasil e do mundo, no âmbito econômico, na arte e na cultura, nas escritas e na literatura, e uma das maiores concentrações do mundo de bares, restaurantes e butecos nas suas ruas, nas calçadas, isso todos nós já sabemos.

Dai venho aqui para dizer que, no esporte, nós somos muito mais do que atlético e Cruzeiro, nós somos da luta. Isso tá impregnado nas nossas mãos, nos nossos pés e sabe onde? No tatame.

Somos tudo isso e somos muito mais. Somos campeões, esse é o sentimento que carregamos quando falamos desse nome, hoje falado no mundo inteiro. Felipe Carsalade Pena, o “Felipe Preguiça”.

Felipe nasceu em Belo horizonte, largou o curso de engenharia para focar no esporte de alta performance. E o que vocês vão ler abaixo é a conversa que ele nos deu após ter se consagrado o mais novo campeão mundial do ADCC.

É isso, com vocês Felipe Preguiça. Enjoyy.

Esporte

Em 2005, comecei no esporte por influencia do meu irmão mais velho o “Augusto” que ja era atleta. E]Eu era bem gordinho e estava em uma fase sedentária e dando alguns trabalhos fora de casa como todo adolescente então, meus pais decidiram que o esporte me faria bem.

Quando comecei no jiu-jitsu eu não gostei muito mas, todos me receberam muito bem por causa do meu irmão então fiz muitos amigos rápido e me senti acolhido.

Sempre que podia encostava na parede e pulava o aquecimento e por esse motivo me apelidaram de “preguiça”, não gostei do apelido e foi ai que continuaram chamando, haha.

Aos poucos fui pegando gosto, melhorando e comecei a competir mas o apelido ficou o Jiu-jitsu mudou completamente minha vida e sou muito grato por ter começado.

Felipe dia a dia:

Meu dia-a-dia se divide em treinar 3 vezes, dar aulas e administrar minha academia em BH. Procuro comer bem, de 3 em 3 horas, alimentos saudáveis, nutritivos, pouca gordura e açúcar.

Diversão:

Sobretudo gosto muito de viajar, assistir filmes, sair pra restaurantes, fazer kite surf e encontrar os amigos.

Musica:

Primeiramente sou bem eclético, escuto desde rap, hiphop, pagode, eletrônico e música góspel. Assim, depende do momento. As músicas, são várias mas gosto bastante de Ghetto Gospel (2 pac), Just a dream (Nelly), God’s Plan (drake), Fé (Iza) e O homem que nao tinha nada (Projota).

Campeão:

Ja lutei, fiz a luta no sábado passado e fui campeão. Me preparei muito e me mudei para San Diego (Califórnia) por 3 meses para fazer meu camp lá. Saí totalmente da minha zona de conforto e me abdiquei de tudo.

04 palavras que você traduzem sobre você:

Família, determinação, persistência e humildade.

Qual os maiores ensinamentos da Luta na sua opinião:

Acho que o principal é superação, a vida é feita de desafios, obstáculos e frustrações. Reclamar não vai mudar em nada, ser forte, persistente e determinado pra passar por isso e chegar aonde você deseja. Nada vence o trabalho duro.

O Jiu-jitsu é um esporte maravilhoso, tem toda a parte física e de defesa pessoal mas, o principal são os ensinamentos como superação, paciência, força de vontade, auto-controle, respeito, disciplina e muitos outros que você consegue aplicar em todas as áreas da vida fora tatame.

Felipe para 2023

Quero lutar bastante, me manter ativo, ter o melhor ano da minha carreira. Podem esperar um Felipe muito motivado, feliz e grato de fazer o que ama representando nosso país nos principais palcos do esporte no mundo.

Sobre Lucas Machado no instagram

Advertisement

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments