Chimarrão: origem e benefícios do chá

Certamente você de alguma forma já se encantou pelo Rio Grande do Sul:

paisagens lindas, povo hospitaleiro, alegre, sagaz, aguerrido e bonito, cultura diferente e comida de tirar o fôlego dos doces aos salgados. 

Aliás, o povo gaúcho é conhecido por cozinhar muito bem, rejeitar muito dos alimentos industrializados e manter uma boa saúde.

Não é à toa que a longevidade desse povo é conhecida. 

Chimarrão

Apesar de olhares desconfiados pelo gosto amargo da erva e por “ter que se dividir o tal do canudinho”.

Entretanto (jamais digam isso a um gaúcho!) o chimarrão ultrapassou as linhas do Estado e vem ganhando cada vez mais adeptos. 

Tradição

Para o gaúcho o mate é uma tradição, tomado de manhã em jejum, após o almoço ou entre 17 e 18 horas (não depois por ser diurético e ter cafeína).

Mas há quem tome o dia inteiro, por hábito mesmo, como quem toma café. 

Há, todavia, uma cerimônia para matear

o mate é usado para socializar e colocar a todos em situação de igualdade na roda, independentemente do poder financeiro, escolaridade, ou se é patrão ou empregado. 

Além disso, o dono da casa ou outro que prepare o mate é o “dono”, ou seja, é ele quem começa e, da esquerda para a direita.

Quem recebe deve pegar com a mão direita também. 

De antemão vale o alerta: não agradeça cada vez que a cuia chegar às suas mãos! Dizer obrigado significa que você não quer mais!

E por favor, não deixe resto da sua água na cuia, faça “roncar” e jamais mexa na bomba! 

Mas porque o chimarrão é tão adorado? Não só pela própria tradição mas igualmente pelos benefícios: 

Diurético, laxativo, um ótimo estimulante, já que contém cafeína, dá disposição para atividade física e acaba com o cansaço.

Digestivo e não apenas, melhora as funções intestinais sendo aliado ao emagrecimento, redução de gases e estufamento abdominal.

Auxilia no emagrecimento por certo, ser estimulante, diurético e laxativo contém sais minerais como, por exemplo, manganês, ferro, potássio e fósforo.

Portanto, sem dúvida, age na na prevenção de doenças do fígado e na redução do colesterol ruim.

Se animou? Contudo, está com nojo de usar a mesma bomba que todos?

Saiba que é feita de prata e muitas vezes banhada a ouro e, aliado a isso, a temperatura da água em 70º evita contaminações. Mas pode matear sozinho.

Com certeza você vai precisar de uma cuia (sugere-se uma menor), uma bomba (sugere-se a banhada a ouro no bico), uma erva-mate nem tão fina nem tão grossa, uma garrafa térmica para colocar a água e chaleira para ferver a água. 

Deixe a água no fogo até “chiar” exato esse barulho que a chaleira vai fazer. A água não pode ferver para não estragar o mate. Ou seja, chiou desligue e coloque na térmica. 

Deixe a água no fogo até “chiar” exato esse barulho que a chaleira vai fazer. A água não pode ferver para não estragar o mate. Ou seja, chiou desligue e coloque na térmica. 

Por fim, com o dedão o bico da bomba, coloque-a no fundo da cuida, como se enterrada na erva. Dai, é só servir e saborear. Algumas ervas vêm com chás misturado para reduzir o amargo do mate. Aproveite e boa mateada. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.