Dieta da carne: plano de alimentação baseado em proteínas

Dieta da carne: plano de alimentação baseado em proteínas

Libera geral! Esse poderia ser facilmente a chamada oficial para a carne benfeita do prato. Tanto que ela se tornou uma saída importante para matar a fome e ainda manter o corpo em forma.

Foi assim que surgiu a Dieta da Carne, um plano de alimentação baseado no poder das proteínas. E se você gosta de um bife bem preparado, ele é uma excelente opção. Muito saborosa, as carnes são importante fonte de nutrientes e, por isso, ajudam muito na saciedade.

Confira nossas receitas de dietas: https://lifestyle.uai.com.br/saude/dieta-sem-gluten-derrete-gordura-corporal-e-chapa-barriga/

Trata-se de um plano alimentar desenvolvido pelo doutor Melvin Anchell, que, em 1998, também escreveu um livro. A ideia é a redução direta do consumo de gordura e agregar força muscular.

Combustível para o corpo

Primeiramente, é bom deixar claro que, nessa alimentação, a prioridade é a retirada por completo do consumo de carboidratos. Dessa forma, a principal fonte de energia se torna a gordura e, consequentemente, um combustível para todo o corpo.

Assim, a queima ocorre diretamente na gordura. Além disso, de acordo com pesquisa, esse tipo de alimentação auxilia na diminuição do diabetes. Contudo, é muito importante que ela não se torne o projeto fixo por longo prazo.

Confira nossas receitas de dietas: https://lifestyle.uai.com.br/lifestyle/gastronomia/estrogonofe-de-frango-com-recheio-de-batata-doce-fit-e-light-receitas-fitness/

O propósito dessa dieta é fazer os ideais de fase. Por isso, estabelecer esses parâmetros são ideais para o cérebro. Para começar, é bom você entender que não se pode consumir mais 20 gramas de carboidratos por dia.

Então, o ideal é um consumo de vegetais para equilibrar, de fato, a alimentação. Assim é possível repensar hábitos alimentares e repenses sobre os alimentos liberados e os proibidos.

As proteínas podem podem ser consumidas a partir de carne vermelha, frango e aves. O mais ideal é que você fique muito longe das massas pães, frutas, cereais, legumes ricos em amido, produtos lácteos e cremes. Não é permitido comer nozes, sementes e inclusive feijão.

Bebidas alcoólicas também merecem distância. Em seguida, chegou o momento de manutenção do peso alcançado. O ideal aqui é o acréscimo de vegetais.

O objetivo inicial é cortar drasticamente o consumo de carboidratos, as reservas de gordura se tornem o principal combustível de energia. O resultado a ser conquistado é a queima de gorduras de forma eficiente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.