Yoga e Psicologia: centramento e fortalecimento dos braços

Yoga e Psicologia: centramento e fortalecimento dos braços. Primeiramente. Há em um contexto geral diversas polaridades e muita delas extremas que devem ser analisadas como conteúdo.

Entretanto, elas são diversas como alguns exemplos, a alegria e a tristeza o amor e o ódio. Ou o certo e errado o positivo e o negativo e assim seguimos.

Apenas aquelas pessoas que são céticas não conseguem ver que muitas coisas acontecem no campo, além do material e do físico.

Enfim, muitas coisas vão além chegando a ser extremamente espirituais. Mesmo se dividindo em diversas formas de visão.

Simplicidade:

Certamente estão na simplicidade do pensar, sentir e querer. Quando estamos com a mente confusa, dificilmente conseguimos agir com calma e praticidade, atrapalhando todos os âmbitos da vida, prejudicando nosso foco e motivação

Pensamentos turbulentos atrapalham a ordem, sobretudo contribuem para um caos mental e emocional, levando muitas vezes a doenças. Assim, o excesso de preocupação prejudica a mente e rouba a felicidade.

Pensamentos objetivos, positivos, claros, facilitam a vida em todos os aspectos, nos tornam seres mais leves.

Da mesma forma: agradáveis, cordiais, porque sentimos mais felicidade, contentamento, gratidão, do que insatisfação, tristeza, medo, insegurança e desespero.

A busca por esse equilíbrio é diária, num dia após o outro direcionamento do pensamento é livre! Aliás, a escolha é sua entre o pensar negativo ou positivo!

Fortalecimento dos braços:

Sobretudo, quando observamos um yogue nessa postura, vemos uma cruz apoiada no chão.

Com os braços abertos e as pernas unidas, ele sustenta o corpo em uma das mãos e em um dos pés, pois o de cima fica apoiado sobre o que está no solo.

Conhecida como crucifixo, é um excelente ásana de força, reenergizante, que além de fortalecer os braços, também trabalha punhos, pernas, glúteos, costas e abdominais oblíquos.

Essa postura tem variantes, podendo ser iniciada de forma mais branda por um iniciante, até ser dominada pelo praticante.

O tempo de permanência também é gradativo, de acordo com a frequência de prática, iniciando com 15 segundos até atingir 1 minuto, mantendo a respiração apenas pelas narinas. Ativando todos os músculos, a postura se torna mais estável!

Para equilibrar-se e manter a permanência, precisamos mandar um comando da mente para que o corpo execute.

No yoga, a prática pede a união do corpo e mente, já que um exerce influência sobre o outro.

Benefícios:

  • Tonifica os músculos do corpo todo
  • . Alonga e alinha a coluna vertebral
  • . Ativa o equilíbrio e a concentração
  • . Favorece o controle da respiração

Yoga e Psicologia: centramento e fortalecimento dos braços

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.