Educador social lança mais uma obra literária

Inicialmente, nestes tempos sombrios de pandemia, em formato de live, Daniel Malard lançou seu segundo livro: Cativantes Marginais, pela editora Giostri (São Paulo/SP).

Universo da delinquência

Primeiramente o autor viaja pelo universo da delinquência com os personagens Barba Negra e Rato Branco.

Dois caras de diferentes gerações movidos por um mesmo desejo: embarcar em uma insólita jornada até os porões do Brasil.

Terreno do caos

No entanto após longos anos atravessando o terreno do caos, em meio a farras e feridas, um crime sem sucesso muda suas vidas.

A narrativa é seca, mas ambígua e bem-humorada.

Entretanto os protagonistas da trama, dois homens complexos em suas construções ficcionais, transitam entre o sublime e o profano.

Sendo o profano na obra toda a malandragem por eles vivenciada, e o sublime todo o carisma que ambos exalam através de suas loucas aventuras.

Talvez por aquilo que se declara decreto do destino, logo depois aonde se chega é aonde se deveria chegar, independente do caminho que se faça.

Daniel Malard

Daniel Malard é mineiro de Beagá, marido da Telma e amante da literatura marginal.

A princípio em 2006, graduou-se em Educação Física pela Universidade de Itaúna. Além de escritor, é personal trainer, educador social e vlogueiro.

Assim, em 2017, lançou o livro Planeta Droga – Eu estive lá, sendo sua estréia no mundo das letras.

Malard tem se dedicado nacionalmente ao combate às drogas, e sua arma é a informação.

Percorre o país ministrando palestras em escolas, igrejas, faculdades, empresas e projetos sociais.

Na condição de um provocador de transformações, aconselha vítimas da dependência química (usuários e familiares).

E visita cracolândias buscando levar palavras de esperança àqueles que se encontram esquecidos nesta prisão sem muros.

Também administra o blog Submarino Missões e mantém no Youtube o canal Planeta Droga.

Book trailer: https://www.youtube.com/watch?v=7Ga42_7tXyA

Educador social lança mais uma obra literária

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.