Primeira mulher brasileira negra a alcançar o topo do Everest

Primeira mulher brasileira negra a alcançar o topo do Everest

Antes de mais nada o mundo necessita de pessoas que endossam o antirracismo. Por isso, pensar em indivíduos que mostram a luta antirracista é fundamental.

Mas nesse processo a mulher preta mostra o motivo de chegar ao topo. Um exemplo disso é a atleta Aretha Duart, que apresenta a liberdade no esporte.

Já ouviu falar dessa atleta? Ela subiu ao ponto mais alto do Nepal. A montanhista mostrou todo o amor em subir montanhas.

Até porque, ela se tornou a primeira mulher negra a chegar ao topo do Everest. Para se ter ideia, apenas 25 brasileiros chegaram ao topo.

Segundo a atleta Arerha, as montanhas é um estado de amor. “O montanhismo é algo que eu me apaixonei e eu diria que virou amor. Quando eu vi uma foto dessa montanha eu falei: ‘eu quero estar nesse lugar, eu posso estar nesse lugar’”, conta.

A mulher no topo

A poesia esboçada pela atleta fala muito do propósito. E não há exageros. Tanto que lá 8.848 metros no Everest mostra muito disso.

Mas a dedicação para chegar ao monte mostrou muito do projeto. De acordo com os dados do site da Thaina, do total de mulheres entrevistadas, apenas cinco mulheres eram negras.

“O montanhismo é algo que eu me apaixonei e eu diria que virou amor. Quando eu vi uma foto dessa montanha eu falei: ‘eu quero estar nesse lugar, eu posso estar nesse lugar’”, conta a atleta.

“Eu sempre incentivo que mais pessoas façam esse tipo de aventura. Mulheres, montanha também é para a gente, por mais difícil que pareça! As montanhas também são nossas”, explicou Arerha.

“Entendo que o mundo passa por uma crise econômica por causa da pandemia [coronavírus] e não me senti no direito de pedir dinheiro para ninguém, nem que fizesse rifa ou algo do tipo. O objetivo é juntar lixo e sucata da minha casa, bairro, de amigos. É um trabalho de formiguinha”, contou a atleta.

Foto: @gtarso_

Primeira mulher brasileira negra a alcançar o topo do Everest

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments