Biquíni brasileiro no contexto histórico

Biquíni brasileiro no contexto histórico

“Era um biquíni de bolinha tão pequenininho… mal cabia na Ana Maria…” A música da banda Blitz se tornou um clássico e entrou na história por falar de uma das peças mais emblemáticas do vestuário brasileiro.

Aliás, a evolução do biquíni do Brasil ganhou espaço na moda mundial. E não era para menos. O país é o que mais fabrica e consome moda praia.

Isso significa que a evolução das peças tiveram como referência os grandes estilistas na construção histórica. Tanto que basta um primeiro contato para que a criação brasileira seja reconhecida.

O primeiro biquíni do mundo

Apesar de todo esse respaldo, não se trata de uma invenção verde e amarela. Já que o responsável pela criação da peça foi um estilista francês chamado Louis Réard.

Para a editora de moda Diana Vreeland, “o biquíni é a principal invenção do século 20” e de lá para cá já se vão mais de 70, desde as primeiras criações. O primeiro modelo era até bem grandinho, feito de algodão e a estampa imitava página de jornal.

Contudo, para aquela época, ele era tão audacioso que nenhuma atriz quis ser fotografada para a divulgação. Mas na década de 1950, a maravilhosa Brigitte Bardot não se amedrontou e eternizou a peça filme “E Deus Criou a Mulher”.

A criação brasileira

No Brasil, o item ganhou popularidade nos corpos das vedetes. Elas chamavam atenção e atraíam olhares para as areias em frente ao Copacabana Palace. A partir de então, as praias do Rio de Janeiro se tornaram grandes passarelas.

Mas foi apenas na década de 1970 que a tanga surgiu e mudou completamente os parâmetros mundiais da moda praia. Contudo, foi na década de 1980 que as variações deram às caras. Assim, as opções de lacinho, cortininha e asa delta passaram a fazer parte do cotidiano.

Nesse tempo, a principal referência dos biquínis pequenos foi a modelo Monique Evans, que ostentava modelos diferentes a cada ida à praia. Até que, nos anos 90, a moda praia passou a ganhar estrutura própria e se tornou cool.

Hoje, o segmento tem um bom giro econômico. A inspiração para tanta história vem da sinergia do brasileiro com o clima tropical. Além disso, os mais de 7 quilômetros de litoral podem explicar muito bem essa relação, que é histórica.

Biquíni brasileiro no contexto histórico

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments