O que é funcho e para que serve?

  • por em 19 de dezembro de 2020

O universo das plantas medicinais é muito grande. Dizem que nem conhecemos todas elas ainda.

Mas aquelas que já sabemos, trazem grandes benefícios para a saúde.

Uma delas é a funcho, capaz de atuar nas dores do estômago, desintoxicar o fígado e muito mais.

As plantas curam doenças desde quando temos relatos sobre a humanidade.

Afinal, naquela época não existia remédio.

O que é funcho e para que serve?

Já contamos sobre o funcho uma vez aqui no YOOMAG. Entretanto é uma planta medicinal muito parecida com a erva-doce, e inclusive muitas pessoas as confundem. 

Porém, ela já era usada para tratar doenças e ocasiões pelos egípcios, gregos e até os árabes em um chá.

Quais  os benefícios do funcho?

O foco do funcho é a região do aparelho digestivo, com ação para flatulências, dores abdominais, mau hálito de origem no estômago  e na digestão geral de comidas mais pesadas.

Além disso, o chá de funcho melhora a diarreia.

Outra forma de utilizar a planta é com compressas para aliviar inflamações em várias regiões do corpo.

Desde uma conjuntivite ao peito com muita secreção.

E a diferença entre funcho e erva-doce?  

À primeira vista, funcho e erva-doce se parecem muito. Tanto é que em muitos sites, inclusive de renome, afirmam que ambos são a mesma coisa.

Entretanto, não é bem assim. A erva doce tem flores brancas, enquanto o funcho tem as flores amareladas e folhas rendadas.  

Outro ponto interessante é o nome científico, a erva-doce é chamada de Pimpinella anisum, enquanto o funcho é Foeniculum vulgare.

Sobre chá de funcho

É claro que quando você faz a infusão do funcho para o seu chá, os benefícios citados acima também acontecerão. 

Por isso, tente ingeri-lo na sua rotina semanal, duas vezes por semana já são suficientes.

Contra-indicações do chá de funcho

Por fim, é sempre bom frisar que tudo em excesso faz mal, e isso também serve para o chá de funcho.

Desse modo, não consuma demais. A contra-indicação mais forte é para as gravidas, que devem consultar seu médico, pois uma dose a mais pode causar aborto. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments