Skatistas protagonizam documentário com manobras dentro das obras de Oscar Niemeyer

Skatistas protagonizam documentário com manobras dentro das obras de Oscar Niemeyer

Primeiramente os traços de Oscar Niemeyer provocam uma sensação imediata que te leva às vivências lúdicas.

Então, para entender melhor essa alusão, basta que você direcione o seu olhar aos trabalhos do artista e viver dentro (literalmente) de todo aquele ambiente.

Pedro Barros e Murillo Peres

E foi isso que Pedro Barros e Murillo Peres sonharam em realizar. Dessa forma.

Juntos, os dois planejaram como seria a experiência de andar de skate dentro das curvas desenhadas por Niemeyer – que representa um marco da modernidade contemporânea.

O encontro do skate com a arquitetura veio em total sintonia e Pedro e Murillo não foram discretos.

Aliás, cravaram elementos de muita ousadia com manobras sinistras em lugares até então inimagináveis como pistas para qualquer skatista do mundo.

Por exemplo o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, o Congresso Nacional e a Bienal de São Paulo.

Enfim, o sonho começou a se materializar quando a Fundação Oscar Niemeyer autorizou os skatistas a darem um rolezinho por alguns dos edifícios do assinados pelo arquiteto.

Busca por desafios e criatividade

“A proposta desde o início nos pareceu uma ideia incrível. Existe uma forte identidade entre o universo desse esporte [skate] e a arquitetura de Niemeyer e seus valores.

A irreverência, a liberdade, a busca por desafios, a criatividade em cada movimento, tudo isso está na essência do skate, assim como na obra de Niemeyer, feita de curvas livres, belas e surpreendentes”, comentou Carlos Ricardo Niemeyer, superintende-executivo da Fundação.

O documentário que relata todo o processo dos skatistas foi todo produzido entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020.

Sonhos concretos mostra o desejo de Pedro e Murillo, bem como revela todas as peculiaridades desenhadas pelo arquiteto.

O documentário teve estreia na última semana, pela Red Bull TV. Como Pedro cresceu em Brasília, ele sempre pensou como seria manobrar nas obras de Niemeyer. Isso ocorreu.

O filme pode ser visto gratuitamente e todas as filmagens foram dirigidas pelo mineiro Hugo Haddad (também skatista) e produzido por Victoria Mazzia. De acordo com a produção, depois das gravações todas as obras passarão por reparo.

Assista: www.redbull.com.br/sonhosconcretos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.