Daniela Linhares: a força do amor em prol das mulheres

  • por em 3 de julho de 2021

Daniela Linhares

A fala forte da nossa entrevistada surge em sincronia com a personalidade amorosa de Daniela Linhares. Força, inclusive, é um adjetivo que salta pela personalidade de Dani, logo no primeiro contato. O cuidado é outra característica dessa mulher que optou em priorizar o apoio a mulheres vítimas de assédio, abuso sexual, físico e psíquico. 

Confesso que conhecer toda a potência de Dani veio como um impulso motivador, em tempos de caos. O sorriso acolhedor, e o olhar que transmite verdade constroem muito da personalidade de uma pessoa que utilizou a própria história como processo da caminhada. 

Isso porque, ela já foi vítima de assédio e ouviu os relatos de 90% das amigas próximas, que viveram a mesma situação. Dor, tristeza, medo e vergonha são apenas alguns dos sentimentos materializados em lágrimas e choros profundos que ela se lembra com tristeza. 

Portanto, ignorar essa realidade nunca foi uma opção: “Já passei por isso, assim como cerca de 90% das minhas amigas. Mas essa não é uma briga que você compra sem estrutura. Quando eu comprei, busquei psicólogos, advogados e eu levo nas delegacias.”

Coragem e proteção às mulheres

Tudo isso porque ela sofreu (e sofre) ameaças rotineiras, já que decidiu travar uma guerra em que o inimigo tem a mentira como grande capa de proteção. Falo isso, pois o foco das denúncias encabeçadas por Dani são pastores, que utilizam da fé para cometer os abusos.

Ela, que também é pastora da Igreja Batista Getsêmani, não vive a partir do corporativismo. Até porque, não protegeu as práticas abusivas de um líder da própria igreja. Dessa forma, o abuso não passou ileso e ela encabeçou a denúncia contra um pastor da congregação.

Mas, como ela mesma disse, a batalha, que se tornou uma missão de vida, conta com uma série de soldados dispostos, como psicólogos, psiquiatras, delegados e doadores de amor dispostos a acolher.

Mas, como ela mesma disse, a batalha, que se tornou uma missão de vida, conta com uma série de soldados dispostos, como psicólogos, psiquiatras, delegados e doadores de amor dispostos a acolher.

O amor vence tudo

Até porque, amor é o que ela vive, prega e prática em cada segundo da sua caminhada. Aliás, acredito eu vi toda a proporção desse sentimento em todas as etapas do trabalho da Dani. E não era para menos. 

Filha do pastor Jorge Linhares, fundador da Igreja Batista Getsêmani; e de Glenda Linhares; o amor foi o único ritmo permitido. E o estigma de “filha de pastor” nunca foi uma regra com sentido em casa. 

Por isso mesmo, a defesa da família, dos direitos de pai e mãe em educar os filhos é outro pilar que ela endossa e que tem tudo a ver com a proteção de mulheres vulneráveis. Eu fiquei encantado com cada detalhe da caminhada da Dani e prometo que vou reunir uma série de textos para te contar mais desse amor, que aprendi com ela. 

O amor em prol de pessoas não é dos que falam e carregam milhares de bandeiras e sim dos que realmente fazem. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários estão fechados.