Alimentação: saúde e doenças

  • por em 31 de outubro de 2020

COMO ANDA A ALIMENTAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA?

Primeiramente o percentual de pessoas obesas adultos no país, mais que dobrou em 17 anos indo para 41,2 milhões de pessoas em 2019.

A população com excesso de peso subiu para 91 milhões, representando quase dois terços dos brasileiros.

Sendo que a obesidade é contabilizada dentro do grupo de excesso de peso.

Do mesmo modo 55% dos adolescentes acompanhados pelo SUS em 2017 tiveram uma má alimentação consumindo produtos industrializados.

América Latina ( ONU/FAO)

Uma análise feita em 27 países da América Latina ( ONU/FAO) mostrou que o excesso de peso e a obesidade.

Assim são responsáveis por 300 mil mortes por ano comparadas a 166 mil pessoas assassinadas no mesmo período.

Alimentação X saúde pública

A obesidade é um problema grave e para enfrentar exige um esforço grande.

É fundamental o protagonismo do poder público em estabelecer políticas eficazes e campanhas de conscientização sobre o tema para a população.

Essas campanhas precisam ir nas causas estruturais, a população de baixa renda é a de maior risco sem acesso a uma alimentação saudável por causa das condições que o mercado impõe.

No entanto consomem cada vez mais o industrializado e o ultraprocessado.

Obesidade aumenta o risco de doenças

Ao mesmo tempo a obesidade aumenta o risco de doenças mortais como diabetes, do coração, vários tipos de câncer (INCA).

E mais, todas essas doenças configuram as principais causas de morte no Brasil.

A OMS afirma que pelo menos 14 tipos de câncer associados a essas condições tem um maior risco de desenvolver tumores malignos.

Câncer de mama( pós-menopausa), cólon, reto, útero, rim, fígado, ovário, pâncreas, próstata, estômago e tireóide (INCA).

Saúde pública X Agrotóxicos

Segundo a OMS são registradas 20 mil mortes por ano devido ao consumo de agrotóxicos.

O Brasil é o maior consumidor mundial decorrente ao agronegócio.

A exposição aos agrotóxicos pode causar uma séries de doenças, os principais afetados são os agricultores e depois toda a população por meio do consumo de alimentos e água contaminados.

Por fim temos um desafio muito grande. A população precisa ter acesso a uma saúde de qualidade e poder de decisão e compra a uma alimentação saudável.

Em contraponto só na pandemia o governo aprovou 118 agrotóxicos novos, em 2019, 475 agrotóxicos foram liberados no país.

Guia alimentar da população brasileira

Ainda assim na pandemia o ministério da agricultura enviou uma nota técnica ao ministério da saúde pedindo revisão do “guia alimentar para a população brasileira”.

Contudo um dos mais respeitados do mundo, pedindo o fim da classificação que desaconselha os ultraprocessados.

A nota ainda pede para tirar menções pseudocientíficas sobre
produtos de origem animal e rever a participação de especialistas na ciência dos alimentos.

Na contramão de outros países, o Brasil segue retroagindo no quesito saúde da população.

Incentivando cada vez mais o consumo de processados e alimentos
contaminados por agrotóxico.

Cabe a nós fazermos nossas escolhas, consumido cada vez mais o orgânico ou agroecológico, incentivando produtores locais, diminuir o consumo de produtos de origem animal e alimentar cada vez mais de forma natural.

O remédio para essa população cada vez mais doente está na terra. Vamos
desembalar menos e descascar mais. Reveja seus hábitos.

Alimentação: saúde e doenças

@tatigiacoia: https://www.instagram.com/tatigiacoia/?hl=pt-br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.