Queda de cabelo: Quando devo me preocupar? O que fazer para evitar?

Queda de cabelo. Meus cabelos estão caindo! Quando devo me preocupar?

Primeiramente a queda capilar é algo que incomoda muita gente e pode representar tanto um processo natural do nosso corpo.

Quanto o sintoma de algum distúrbio ou doença.

Sendo assim, muitas pessoas ficam na dúvida de quando é realmente preciso se preocupar com a perda dos fios.

Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD)

De acordo com a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Segundo Ana Rosa Magaldi, o nosso organismo mantem um ciclo constante de renovação celular.

Alimentos que ajudam a prevenir queda de cabelos: https://lifestyle.uai.com.br/saude/alimentos-que-ajudam-a-prevenir-queda-de-cabelos/

Couro cabeludo

E isso não é diferente para os cabelos, que vivem se renovando.

“Em nosso couro cabeludo existem três tipos de fios, os que estão em fase de crescimento, os que estão em fase de estagnação, e os que estão em fase de queda.

Afinal, o ser humano perde de maneira natural cerca de 100 a 120 fios diariamente.

A quantidade também pode variar de acordo com as variações climáticas de cada estação do ano”, explica.

Dentre os principais fatores que podem impulsionar a queda dos cabelos estão a genética, hereditariedade, o processo de envelhecimento, a oscilação constante de peso (ganho ou perda) e o desequilíbrio hormonal.

Efeitos colaterais

“O problema também pode surgir em decorrência de efeitos colaterais de alguns medicamentos ou de tratamentos agressivos.

Ainda pode ser sintoma de doenças como a sífilis, o lúpus, hipertireoidismo e hipotireoidismo.

Queda de cabelo

Mesmo de condições como a calvície e alopecias dos tipos areata, traumática e androgenética”, aponta.

Segundo Ana Rosa, deficiências nutricionais como a baixa de vitaminas e minerais, anemia infecção por fungos.

E ainda o enfraquecimento temporário dos fios devido a experiências estressantes, também podem ser fatores determinantes para o desgaste capilar.

“Uma das maneiras de perceber se a queda capilar está fora da normalidade é fazendo a comparação de uma foto realizada de um ano atrás com uma imagem atual.

Dessa forma é possível observar, mesmo que superficialmente, se houve uma diminuição muito brusca dos cabelos durante esse período de tempo.

E também permite que o paciente busque pela ajuda médica antes do agravamento do caso”, ressalta.

A dermatologista destaca que as pessoas não devem se alarmar quanto à quantidade de fios que caem a cada dia, mas sim reparar no volume e densidade dos cabelos que ainda permanecem no couro cabeludo.

Tratamento da queda

Conforme Ana Rosa, não existe uma norma quanto ao tratamento da queda capilar, pois a terapêutica a ser utilizada é definida de acordo com cada caso. “Sendo assim, é necessário se fazer uma anamnese do paciente, analisando cada uma das características de seus sintomas.

Quando o diagnóstico ocorre de maneira precoce, o tratamento pode ser realizado por meio do uso de medicações e mudanças de comportamentos alimentares, mas tudo isso também depende das especificidades de cada situação e da capacidade de adaptação do organismo do paciente.

Queda de cabelo: Quando devo me preocupar? O que fazer para evitar?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.