Pedro Quintão: profissão empreendedor

Pedro Quintão: profissão empreendedor

O sangue empreendedor pulsa firme no corpo do entrevistado de hoje. Pedro Quintão é
visionário e acredita que a inovação é o grande condutor de toda a caminhada profissional.

Antes dos 15 anos, ele já sabia que o trajeto no mercado estava traçado. Criativo e
inspirador, Pedro é aquele tipo de pessoa didática e paciente.

Hoje, aos 25 anos, ele conta que a rebeldia em acreditar no sonho trouxe ele até aqui. O
papo leve e recheado de conhecimento rendeu uma ótima entrevista.

Acompanhe o resultado da conversa com o fundador da Be Bellus.

1 – Você começou a trabalhar com qual idade? Qual foi seu primeiro emprego?

Meu primeiro emprego foi aos 15 anos, quando eu abri minha primeira empresa. Nesse
início, primeiramente era uma startup que os usuários enchiam o carrinho de supermercado. Então, a
plataforma mostrava em qual supermercado era mais barato fazer as compras.

2 – Conte um pouco da sua carreira

Após um ano do lançamento da minha primeira startup, fechamos ela. No mesmo ano, criei
o Faculdata (minha segunda startup) no qual dávamos cashback de vestibular para
estudantes.

Entretanto nessa época, tivemos milhares de usuários separados em sete estados do Brasil. Depois
de três anos de operação, fizemos algumas escolhas erradas e decidimos vendê-la a um
preço irrisório.

Já aos 19 anos, estrei na faculdade e tive meu primeiro emprego formal. Ao mesmo tempo, a
responsabilidade foi gerir uma área comercial de uma nova empresa de soluções para
formaturas que nascia.

No entanto, o negócio fazia parte do mesmo grupo de uma produtora responsável por grandes eventos
e festivais, como Axé Brasil e Pop Rock Brasil.

Após um período de um ano, eu me desliguei da empresa para focar na faculdade. Mas
gosto de experiências (como você já percebeu, né?!). Tanto que aos 22 anos, fui agente de
aceleração pelo programa Lemonade – a 17ª melhor aceleradora do mundo.

Em seguida, fui contratado para ser Agente de Inovação na FCJ Venture Builder – uma das maiores
Venture Builder do mundo. Sendo que, depois de um ano, fui convidado para ser COO,
diretor de operações, da sede de Belo Horizonte.

Então, me tornei o diretor mais jovem da empresa no meio de outros 20 diretores. Mas no
início de 2021, decidi voltar para minhas raízes e empreender.

Foi assim que fundei a Be Bellus, o primeiro clube de benefícios 2 por 1 de beleza do Brasil.
A proposta gera economia de cerca de 40% do orçamento mensal da mulher. Além disso,
conseguimos aumentar a produtividade.

Ademais, para se ter ideia, a equipe feminina aumentou em aproximadamente 30%. Portanto, possibilitou o uso da plataforma.

4 – O que você faz na horas que não está trabalhando?

Sou uma pessoa muito intensa. Sobretudo quando não estou trabalhando, gosto de me dedicar a
passar um tempo de valor com minha família, namorada e amigos. Amo cozinhar.

Assim, para manter esse hobby, todo fim de semana, faço um jantar temático sobre
algum país. Então eu sorteio o convite no início da semana entre meus amigos e família.
Para relaxar a mente, todos os dias ao chegar em casa do trabalho, jogo.

Costumo liberar para a minha rotina de 30-45 minutos de vídeo game antes de dormir.

Qual música rola no seu playlist:

Definitivamente, sou uma pessoa muito eclética e de fases. Minha playlist vai desde jazz até funk. Mas as
músicas que mais me tocam são: “Rebeldia”, do Projota; e “Ninguém me ensinou”, da Lagum. Essas duas músicas
conseguem expressar todo o sentimento que tenho em relação à vida. Eu me sinto representado com as duas canções.

5 – Conte um pouco da sua rotina diária?

A primeira coisa que faço no dia é arrumar minha cama. Depois, tomo um banho, me
arrumo, faço um café e pego um pão.

Aproveito e leio meu livro matinal. Da mesma forma, depois desse pequeno ritual vou para o escritório. No
trabalho, a primeira coisa que eu faço é organizar e planejar meu dia.

Em seguida, leio uma pessoa do livro: “Ferramentas dos titãs” e executo minhas tarefas do
dia. À noite, por volta das 22 horas, vou para casa.

6 – Qual seu esporte favorito? Você pratica algum?

Futebol e vôlei. Pratico tênis com mais frequência. Mas também jogo futevôlei e futebol em
uma frequência menor.

7 – O que você mudaria no Brasil?

Com certeza a educação. Acho que se fosse presidente do Brasil investiria no modelo de
educação, quanto a valorização dos profissionais.

8 – O momento mais marcante da sua vida?

O dia que mais me marcou foi o dia do TEDx que fui speaker. Isso é um fechamento de um
ciclo, que começou anos atrás. Poucos sabem, mas o TEDx foi no local onde estudei minha
adolescência até o meio do ensino médio.

Lá foi o lugar que levei a maior “porrada” da minha vida. Eu repeti de ano,logo após, a coordenadora
da série na época me chamou na sala dela e proferiu as seguintes palavras: “Tenho
certeza que você nunca será nada na sua vida”.

Então, voltar após sete anos para a mesma escola que eu saí como um fracassado me
marcou. Porém, dessa vez, o retorno foi sendo speaker da maior palestra do mundo. Esse
foi o fechamento de um ciclo pessoal.

11 – O que é empreender na sua opinião?

Empreender para mim é muito mais que abrir uma empresa, um CNPJ. Empreender é sobre
sonhar e transformar em realidade um sonho.

INSTAGRAM: pedroquintao

Pedro Quintão: profissão empreendedor

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários estão fechados.