Israel Kamakawiwo’Ole: Historia do cantor e compositor havaiano

Israel Kamakawiwo’Ole. Primeiramente quem não ouviu falar desse camarada simpático de gargalhada fácil e letras simplesmente impactantes?

Bom se não ouviu falar, talvez ainda ouvirá. Ou te convido a conhecer um pouco.

Certamente estamos falando do saudoso Israel Kamakawiwo’ole, conhecido como Bruddah IZ ou Brother IZ. 

Havai – Estados Unidos

De origem  Kaimuri, de Honolulu, no Havaí, Estados Unidos, ele cativou o mundo com sua voz. Assim, a sua morte, foi uma grande comoção. 

Um nativo amado no Havaí, tocava musicas havaianas além de folk e raggae.

Somente com o ukulele, pequeno violão havaiano, e sua voz, encantava multidões.  

Mesmo após 23 anos de sua morte, aos 38 anos, ele é sempre lembrado, inclusive pelo ator The Rock, Dwayne Johnson.

Tocou sua música mais conhecida, com um ukulele, no filme “A viagem 2- A ilha misteriosa”. 

Cantor e compositor havaiano

Cantor e compositor, IZ, era um ativista pela independência do Havaí e dos direitos dos nativos e, certamente, é um dos havaianos mais conhecidos no mundo. 

Seu último nome significa “o olho destemido” e com certeza ele fez jus ao mesmo, que recebeu em seu batismo.

Com os pais, velejava de barco a vapor em Waikiki, e aos 10 anos, com seu violão, subiu ao palco pela primeira vez. 

Culturas nativas

Aliás, as culturas nativas ouvem os anciãos, saúdam e respeitam os ensinamentos e por isso, agradar aos mais velhos é uma honra, era o que IZ fazia. 

Ficou então, conhecido como o Garoto do Ukulele, e defensor dos direitos dos povos havaianos, através de suas ações, talento e sensibilidade ao tocar e cantar. 

Já mais velho, gravou várias músicas que mudaram, dessa forma, a história do cenário musical havaiano.

Fez parte da banda Makaha Sons os Ni’ihau quando saiu para carreira solo em 1993. 

Fancing Future é até hoje seu álbum mais vendido, mesmo após sua morte que, entretanto, o tornou ano após ano, cada vez mais conhecido. 

“Somewhere over the rainbow”, cantada por ele, fez a todos se emocionarem e o impulsionou para o mundo. 

Despedida

Sua morte, seguindo as tradições havaianas, também emociona.

Sobretudo porque a obesidade o levou cedo demais, devido a problemas respiratórios. 

Ritual

Em sua despedia o ritual, eram pessoas em pranchas, canoas nativas e barcos, batendo seus braços no mar em homenagem ao havaiano mais querido de todos os tempos.

Comparado apenas aos grande nomes do surf, mesmo com todas as dificuldades de saúde deixou um legado importantíssimo em prol da cultura do Havaí.

Israel Kamakawiwo’Ole: Historia do cantor e compositor havaiano

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments