Escute bem. Você não é substituível

Substituível. Inicialmente numa sala de reunião trimestral o presidente todo pomposo falava para todos os funcionários.

Dessa forma agitava suas mãos e gesticulava sem parar, em uma demonstração clara que nada estava bem e que muita coisa estava por acontecer.

Substituível

Logo mostrava os gráficos fixando os olhos sob cada pessoa presente.

No entanto sob um tom de extrema ameaça soltou a voz dizendo: – Ninguém é insubstituível.

A frase ecoou não só nas paredes e sobre todas as pessoas presentes, mais saiu para fora do pátio da empresa.

Os funcionários ficaram calados, poucos se entreolharam e outros ficaram de cabeça baixa para não deixar o chefe mais nervoso.

Mas de repente um dos braços se levantou e o presidente já pronto para lança-lo para fora da sala, diz:

Alguma pergunta?

Tenho sim e o Beethoven? Como? – O presidente encara o funcionário, sem entender direito e confuso.

O senhor presidente disse que ninguém é insubstituível? Mas, quem substituiu Beethoven?

O silencio predominou na sala. Foi uma loucura total ninguém entendeu nada direito, uns gostaram e outros não, a verdade é que alguém teve a coragem de desafiar o chefe.

A reunião terminou e sem mais palavras.

Certamente em conversas familiares, em divãs, a todo tempo amigos e inimigos, familiares e todos falam na nossa cabeça.

Entretanto pensa um pouco. Quem substituiu Jesus Cristo. Beethoven. Martin Luther king. Ayrton Senna. Dorival Caymme. Chorão. Michael Phelps. Seu Pai. Sua Mãe. Seus Avôs. Jorge Amado.

Afinal cada ser humano tem seu potencial direcionado para alguma coisa. Esta na hora desses líderzinhos mortais, iguais a todos se colocarem no seu lugar buscarem o valor na sua equipe.

Em vez de currículos alfanuméricos, cheios de pompas, reverem seus conceitos e suas crenças e extrair o máximo de cada um, isso sim é ser líder.

Focando no brilho dos pontos fortes, ao invés de focar no que falta, principalmente neles (nos próprios líderes), antes de ir nos erros, se olhe no espelho.

E para não irmos muito longe. Será que alguém se lembra, ou se interessou pelo fato de que Beethoven era surdo, Picasso instável, Caymmi preguiçoso, Kennedy egocêntrico, Elvis paranoico, Chorão viciado.

Queremos sentir o prazer

Primeiramente queremos sentir o prazer das sinfonias, das obras de arte, discursos memoráveis, poemas sinceros, melodias inesquecíveis, o carinho das nossas mães nas noites de frio e de medo, e talentos que podemos não ter citado aqui, mais que não demos ouvidos e não demos sequer uma única chance.

Pense nisso… TODOS nascemos com dons, muitos dons, liderança é saber colocá-los pra fora. Hasta !!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.