Skatista leiloa o vídeo do TikTok mais visto no mundo

Skatista leiloa o vídeo do TikTok mais visto no mundo

Você já viu as danças e interações da rede social chinesa a qual ganhou o mundo? Primeiramente, traremos números para situar a potência dessa rede social, que nasceu na China.

Para se ter ideia, a Byte Dance é a startup que criou o TikTok. Só para ilustrar toda a magnitude, hoje, a empresa é avaliada em US$75 bilhões. O que significou em 2018 o título de “startup mais valiosa do mundo”.

O fenômeno chamado TikTok

O fenômeno ganhou relevância ainda maior durante a quarentena. Já que as pessoas ensaiaram formas de se comunicarem dentro de casa.

E mesmo com o caos mundial, a empresa faturou. O valor de mercado aumentou 33%, ou seja, a febre do TikTok mostrou potencial e, obviamente, incomoda ao poderoso Mark Elliot Zuckerberg.

A pedra no caminho de Zuckerberg

De acordo com dados da empresa de análise Sensor Tower, o APP chinês tem batido recordes. Isso porque, apenas no primeiro semestre de 2020, o TikTok acumulou 315 milhões de downloads.

Além disso, muitas empresas estão de olho na rede. Por isso, as pessoas têm criado estratégias a fim de explorar essa terra desconhecida. Nathan Apodaca é um bom exemplo disso.

O louco mundo das redes sociais

Isso porque, um vídeo dele tranquilão tomando suco de uva e andando de skate viralizou. Ao som da canção “Dreams”, do Fleetwood Mac, ele conquistou os 15 minutos de fama, além de, provavelmente, um bom dinheiro.

A música que é um clássico dobrou o número de ouvintes depois do viral do TikTok. Assim, fez com o que a música retomasse o lugar no pódio. Sendo que o mais surpreendente foi a estratégia utilizada por Nathan para monetizar.

O vídeo mais caro e mais visto no TikTok

O vídeo mais visto no TikTok em 2020 vai ser leiloado. Para se ter ideia, foram mais de 12 milhões de likes no vídeo. Por isso, ele decidiu leiloar o vídeo que ficou famoso. Mas você acredita que a pechincha começará em, ou seja, cerca de 2,7 milhões de reais?

Como isso tudo vai ocorrer? Então, hoje em dia, essas provas digitais (como o vídeo do skatista) têm valor no mercado. Assim como acontece com as criptomoedas rodadas, em um mercado próprio. Moderno, né?!

O mercado financeiro que nasceu no digital

Essa prática é conhecida como NFTs – os non-fungible tokens. Contudo, você nunca ouviu falar nessa terminologia? Até essa matéria eu não sabia. Trata-se de um código em blockchain, um registro de confiança.

Por meio da criptografia a versão original do material está sendo comercializada na internet, desde meados de março. Esse mercado mostrou o potencial recentemente. Isso porque, uma obra de arte foi vendida por US$ 69 milhões, por meio da prática.

A nova bolha econômica

Segundo especialistas, essa comercialização é uma nova bolha econômica. O skatista não tem propriedade intelectual da música que fez a trilha do vídeo. Tampouco, direito de imagem do suco de uva, da marca Ocean Sray.

A ideia é vender a imagem original de Nathan, porém com trechos borrados. Tudo isso, a partir de uma prática descrita como tokenização. Mas você está se perguntando como continuar a compartilhar seus memes preferidos?

A tokenização e cifrões

De acordo com especialistas, o compartilhamento segue liberado. Até porque, réplicas nunca serão tão valiosas como as versões originais.

O viral vai voar, mas a tokenização ficará preservada e sendo valorizada (como eles acreditam). O skatista já faz planos para o dinheiro que acredita ganhar: comprar uma casa e construir um centro cultural.

Acompanhe o vídeo:

https://www.tiktok.com/@420doggface208?referer_url=https%3A%2F%2F

Skatista leiloa o vídeo do TikTok mais visto no mundo

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários estão fechados.