Tatuagem: o mundo mágico da natureza na pele

Tatuagem. São vários os estilos de tattoo, entretanto existe uma variedade de possibilidades e cores para lançar uma tattoo braba.

Estilos de tattoo

No entanto essas pinturas se desdobraram em estilos de tattoo incríveis, que estão progredindo e se reinventando para se adaptarem ao passar dos anos.

É muito comum vermos tatuagens de animais, aquelas com onças, tigres, leões, baleias. águias, até mesmo corvos e urubus.

Outro estilo muito comum são as tattoos florais, aquelas cheias de plantas e flores.

Mas, e se eu quiser misturar os dois mundos e criar um mundo que chega a ser místico?

Envolvendo animais e plantas? Sobretudo criar uma tela em seu corpo que seja uma referência incrível a natureza, misturando animais e plantas. Contando histórias que podem envolver o céu o mar e a terra.

Animais x plantas: Essa tatuagem dá certo?

Definitivamente, o mundo animal nos possibilita uma imensidão de tatuagens que variam muito desde tamanhos e estilos de tattoo.

Quando falamos sobre o tema natureza, é possível tatuar desde pets até mesmo animais selvagens.

Algumas demonstram a beleza que a natureza carrega, tatuagens que lembram o oceano, com tubarões ferozes, outras com leoas e seus filhotes, lembrando do amor do mundo animal e até mesmo aves que nos dão a impressão de estarem observando tudo.

Outra possibilidade muito comum, na temática natureza, são as tattoos de árvores, flores, desde de desenhos de sakuras, carvalhos, rosas, girassóis, dentre vários outros.

Mas, quem disse que essas tatuagens devem ser separadas? Por que não ousar e fazer um céu com pássaros voando, uma águia assentada em um galho de árvore, enquanto a onça toma água em um rio?

Além disso, imagina uma tatuagem que represente os animais lá da pré história? Já pensou?

Na tatuagem você não precisa se limitar, e pode deixar a imaginação correr solta, permitindo que o seu corpo vire uma representação artística da sua ideia mais maravilhosa da natureza!

Tatuagem: o mundo mágico da natureza na pele

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários estão fechados.