Chef Paola Carosella é acusada de gordofobia na internet por criticar comida em 3D

Chef Paola Carosella é acusada de gordofobia na internet por criticar comida em 3D

Vira e mexe uma celebridade (ou sub) passa pelos horrores que envolvem a cultura do cancelamento. Recentemente, Gabriela Pugliesi vacilou feio.

A princípio foi cancelada no universo online e no off-line perdeu grande contratos publicitários. A lista é diversa e já teve muita gente por lá, sobretudo membros do humor “A porta dos Fundos”.

Confira nossas receitas no site: https://lifestyle.uai.com.br/lifestyle/gastronomia/estrogonofe-de-frango-com-recheio-de-batata-doce-fit-e-light-receitas-fitness/

Ainda não tinha ouvido falar dessa tal cultura do cancelamento?

Então, como o nome mesmo diz, a ação consiste em um linchamento, porém digital, em que a pessoa é condenada baseada, na maioria das vezes, em posts de redes sociais.

A escolhida da semana para encabeçar a cultura de ódio que parece ter decidido morar no Brasil é a chef Paola Carosella. Ela que, vira e mexe, agita o Twitter. Dessa vez, entretanto a acusação foi de gordofobia.

Tudo ocorreu depois que a chef (que também é jurada do programa MasterChef) em seguida criticou a impressão em 3D de nuggets proposto pela rede estadunidense KFC.

O cancelamento veio depois que a chef associou a obesidade ao consumo de comida processada. Logo apos, ela criticou o que as pessoas chamavam de comida do futuro e disse que “o futuro vai ter gosto de papelão molhado em cloroquina radioactiva”.

Enfim, bastou um post para que os internautas começassem a criticar a chef com argumentos de que o frango em 3D não tinha origem animal. O que para muita gente seria um ponto positivo.

Paola respondeu um dos comentários e gerou revolta de grupos contrários à gordofobia: “Já tentou agroecologia? Comida de verdade? Feita por pessoas? Agricultura local? Comida que respeita a cultura? Comida que respeita biomas? Que respeita pessoas? Que não produz miséria? Aquela saudável, que não nos deixa obesos, hipertensos”.

Ela rebateu os ataques e disse que quando citou a obesidade estava fazendo uma ligação com a doença, linha adotada pela ONU. Ao contrário do que muita gente criticou, ela disse que a crítica não tinha definitivamente ligação alguma com padrões de beleza.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.