NBA volta com protesto e belas jogadas

A NBA está de volta. Contudo, depois de 141 dias de paralisação, a liga norte-americana de basquete, responsável por movimentar o mundo, retomou as atividades, mas deixou o recado a favor dos atos antirracistas que tomaram o mundo.

Foi então que antes do jogo entre Utah Jazz x New Orleans Pelicans um ato emocionou o mundo. Jogadores, técnicos e árbitros se ajoelharam em protesto à morte do segurança George Floyd, assassinado por um policial branco.

O ato ocorreu durante o hino americano e se repetiu no jogo realizado em Londres, entre Lakers e Clippers. E no lugar dos nomes nas camisas, alguns jogadores preferiram frases de protesto, que foram previamente aprovadas pela NBA.

Black Lives Matter na NBA

Black Lives Matter (Vidas Pretas Importam) estava escrito dentro da quadra, assim como a NBA havia prometido aos atletas. O coro foi endossado e ganhou o apoio de frentes diferentes de atuação.

No entanto ao todo já se foram quatro meses de expectativa de retomada dos jogos na bolha da Disney, em Orlando. Os manifestos dentro de quadra deram o tom da retoma, que também não decepcionou com a bola laranja em jogo.

As jogadas bonitas cravaram o retorno o jogador LeBron James deixou claro o motivo que faz dele o melhor da liga.

Protesto de Donovan Mitchell

Já o jogador Donovan Mitchell, do Utah Jazz, fez muito além do básico das quadras e gritou alto sobre as mazelas de sobrevivência. Com um colete à prova de balas com nomes de negros mortos pela polícia americana, ele endossou a dor: “Como afro-americanos, estamos cansados de ter medo”.

NBA e a Disney

Com o retorno às quadras, o ilustrador Bob Lian, que já tem o hábito de desenhar estrelas do basquete, trouxe para a retomada da NBA os jogadores numa bolha isolado para poder jogar na pandemia.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.