Bike: como pedalar dentro de casa

Bike. A pandemia trouxe uma série de mudanças comportamentais, sobretudo por causa do isolamento social.  

Mesmo com a possibilidade de fazer trilhas em locais mais distantes e que as pessoas não se aglomerem

Muitas vezes o melhor é, assim, treinar em casa mesmo, quando, claro, há espaço. 

O rolo, portanto, usado para treino de ciclistas amadores e profissionais e sempre gerou a dúvida quanto a ser adequado ou não. 

Muitos atletas experientes apontam, todavia, gostam muito desse treino indoor, ao menos uma vez por semana, para treinar com baixa frequência cardíaca. 

Contudo, outros atletas entendem que o treino no rolo porque não há os obstáculos do trajeto, como descidas, subidas e irregularidades de terrenos, mas ainda assim auxilia no treino cardiovascular.  

O ideal, então, é que o atleta procure um profissional para definir o treinamento mais adequado para suas metas e condições físicas. 

Por certo manter uma cadência constante e controlada, no treinamento em rolo, é sempre mais fácil 

Existem, portanto, modelos diferentes de rolos, vendidos em lojas físicas e virtuais, com todos os preços e tamanhos.

Para escolher o mais adequado deve-se avaliar o espaço disponível em casa e a bike, além do quanto se pode gastar. 

Separamos , desta forma, alguns modelos para ajudar na escolha: 

Primeiramente existem os de construção que são: Fixos Wheel On, Fixos Direct Drive ou Livres. 

Assim os rolos de treinamento livre o atleta precisa manter o equilíbrio sobre o rolo pois a bike fica solta sobre ele. São de fácil transporte, porém tem resistência limitada e risco de queda do ciclista. 

Por outro lado, os Fixos Wheel On são normalmente os mais baratos, além de portáteis.

Como funcionam juntamente com a roda traseira acabam desgastando mais o pneu. Deve-se cuidar com o ajuste para não ficar bambo. 

Da mesma forma o outro fixo é o Direct Drive onde a roda traseira é retirada. São normalmente mais caros, mas não deslizam para os lados e nem desgastam o pneu. 

Em segundo lugar, os de resistência que são os a ar onde o ventilador atua, magnéticos cuja resistência se dá por imãs e fluidos, com resistência a partir do sistema hidráulico. 

Em terceiro lugar os de característica de medição de potência que são mais precisos e transformam velocidade em potência, resistência máxima para sprints e inércia, com volante giratório para manter o movimento. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.